A INJUSTA MORTE DO GORILA HARAMBE

alx_mundo-gorila-cincinati-estados-unidos-20160529-01_original

Era uma vez um Gorila chamado Harambe

Ele nasceu no zoológico de Gladys Porter, no Estado norte-americano do Texas, e o levaram para viver no Zoológico de Cincinnati em 2014. Os gorilas das planícies ocidentais são uma espécie ameaçada e o zoológico esperava utilizar Harambe para reprodução.

Harambe vivia feliz com duas fêmeas e havia completado 17 anos no último dia 27 de Maio.

Harambe-the-gorilla-main

A FATALIDADE

mae do menino que matou harambe

No sábado passado uma mulher obesa que foi com os seus filhos e seu marido passear no Zoológico levantou o seu filho caçula Isaías, de 3 anos, acima do muro que cercava a área dos gorilas para que o menino pudesse enxergar os gorilas, ela não conseguiu segurar por muito tempo com seus braços excessivamente gordos e sentou-o ali, o menino então, caiu na grade, dali escorreu pela vegetação e terminou indo parar no lago dos gorilas. As fêmeas estavam em uma parte mais alta, já Harambe que estava embaixo foi até o garoto.

Harambe

Harambe o levantou da água aonde ele podia ter se afogado, como um primata inteligente ele reconheceu que se tratava de um filhote das criaturas que o mantinham cativo, observou bem a criatura, tentou estabelecer alguma comunicação e chegou a colocar a criatura de pé para que ela se locomovesse e saísse dali, mas ele notou que muitos humanos se aglomeravam em torno dos muros e como chimpanzés, eles faziam muito barulho.

34BF5B5D00000578-3615099-image-m-91_1464545053716

Teriam os humanos jogado o filhote ali? Estariam eles querendo matar o filhote ou à ele? Harambe sabia que humanos podem ser perigosos, seu instinto o fez correr levando consigo o filhote, ele o levou para um lado, os humanos seguiram, então ele levou para outro que parecia ser mais seguro. Foi então que um humano do zoológico apontou um rifle em sua direção e o matou.

Uma pessoa filmou parte do acontecido, essas imagens foram parar na televisão, internet e rodaram o mundo…o mundo inteiro e muitos ao redor do mundo viram além de um animal selvagem de aproximadamente 150kg com uma criança, viram um animal domesticado criado a vida inteira num cativeiro tentando proteger um filhote da mesma família animal que que estava ferido e que ele não seria capaz de matar.

OPINIÃO DE QUEM ENTENDE

1113014-GorillaHam-1464625100-226-640x480

A professora Gisela Kaplan, especialista em comportamento animal da Universidade de Inglaterra, afirma que o menino não corria perigo.

“Filhotes não são considerados uma ameaça” disse Kaplan, segundo ela os gorilas macho-alfa dominantes como Harambe são os protetores do grupo, o primata estava apenas estudando a nova e extranha situação.

“O gorila percebeu que o pequeno filhote era indefenso. Eles normalmente não atacam, não são uma espécie agressiva e tenho certeza que o menino não seria morto”, afirmou.

“Se ele fosse atacar haveria advertido primeiro. A primeira ação que fazem como advertência é berrar e dar socos no peito e isso em nenhum momento aconteceu”.

Se Harambe fosse um chimpanzé, que come carne, que come outros animais , assim como nós humanos,realmente o menino teria corrido risco de vida, mas os gorilas são herbívoros, eles não têm esse instinto assassino tão vivo como há em nós e nossos outros primos.

A DESCULPA

As autoridades do zoológico alegam que não usaram tranquilizantes porque o gorila poderia ficar agressivo com o disparo e como o sedativo demoraria a fazer, o gorila nervoso poderia vir a matar a criança. A verdade é que eles agiram sem pensar levados pelas pessoas que se assustaram ao ver o garoto ser arrastado pelo gorila pela água, que disseram que o gorila estava agredindo o menino. Pensaram em agir rápido e ponto.

HAVIA OUTRA OPÇÃO?

Ian Redmon, presidente do The Gorilla Organization, disse que os cuidadores tinham outras alternativas para resolver a situação:

“Quando um gorila ou outros símios estão com coisas que não devem de ter, os cuidadores negociam com eles, dão comida, oferecem suas comidas favoritas, ou algum tipo de fruta ou objeto eles que não têm e negociam com eles uma troca”, disse Redmon em uma entrevista à CNN.

GORILAS DE SORTE: CASOS QUE TIVERAM UM FINAL FELIZ

Outros casos de crianças que caíram em área de gorilas tiveram um final diferente.

Levan Merrit : salvo pelo gorila Jambo
Levan Merrit : salvo pelo gorila Jambo

Em 1986, Jambo um gorila do zoológico de nova Jersey no Reino unido foi surpreendido com a queda do garoto Levan Merrit de 5 anos caiu em sua área. O garoto ficou caído inconsciente, Jambo acariciou as costas dele e tentou ajudar. Os tratadores entraram na área e retiraram o menino.

Binti Juan salvando um filhote de humano.
Binti Juan salvando um filhote de humano.

Dez anos depois foi a vez da gorila Binti Jua do zoológico de Brookfield em Chicago, EUA, tomar um susto quando um menino de 3 anos caiu no lago da sua área. A gorila fêmea que estava criando dois filhotinhos, foi até o lago e retirou o menino desacordado da água, salvando-o de morrer afogado, depois disso ela o levou até a porta do local onde os cuidadores deixavam a sua comida e o deixou lá para que os mesmos o levassem assim como levavam seus restos de comida.

Vejam essas histórias:

http://noticias.r7.com/hora-7/em-memoria-do-gorila-harambe-cinco-momentos-em-que-animais-mostraram-que-sao-herois-31052016

AS OUTRAS VERSÕES DA HISTÓRIA

michelle-gregg-111
Michelle e o marido

Michelle, a mãe de Isaías, não diz que levantou o menino até o muro para ver o gorila, ela diz que ele simplesmente, de repente sumiu de seu campo de visão e depois quando o procurava interrogando as pessoas ao redor um homem disse estar vendo uma criança em meio a vegetação da parte de dentro da área dos gorilas.

Uma das pessoas que filmaram, uma moça – que assim como todos os que filmaram não mostraram a parte em que o gorila recebeu o tiro – disse que ouviu Isaías dizendo para a mãe que queria brincar na lagoa dos gorilas.

Na filmagem que viralizou na web ouvimos a mãe falar com Isaías tentando acalmá-lo, ela inclusive chega a dizer ao filho que o gorila é “King Kong”.

JUSTIÇA ON LINE

existe uma petição na internet no site change.org , um abaixo assinado que pede que as autoridades tomem as providências para que os pais de Isaías sejam responsabilizados por sua queda e pela morte de Harambe. Caso queiram assinar aí está:

https://www.change.org/p/cincinnati-zoo-justice-for-harambe?recruiter=550396649&utm_source=share_petition&utm_medium=facebook&utm_campaign=share_page&utm_term=des-lg-no_src-custom_msg&recuruit_context=fb_share_mention_control&fb_ref=Default

 

CONCLUSÃO

Uma mãe irresponsável que se preocupa mais em comer do que em cuidar do próprio filho, uma sociedade que transforma qualquer fatalidade em um show para publicar na internet, uma sociedade imediatista que acha que tudo se resolve com armas, que a figura do “franco atirador” , do “atirador de elite” é sempre a representação máxima do herói…essas foram as causas do assassinato cruel de Harambe.

REFLEXÃO

Fica a pergunta para a reflexão: Por que existem zoológicos? Por que nós ainda vamos a esses lugares? E os parques com shows de animais, não seriam a mesma coisa dos circos? Por que ainda vamos a esses lugares? Por que pagamos para tirar fotos com animais dopados? Por que tem quem vá para a África dar mamadeira para filhotes que dizem serem  orfãos que depois serão soltos em um parque onde praticantes de caça esportiva irão caçá-los e matá-los, o mesmo que se passou com os pais desses filhotes? Será que os gatos castrados criados confinados em apartamentos ou casas, os cães sempre no quintal ou apartamento que saem somente presos pela coleira e a guia ou de carro, não estão vivendo em situação semelhante a dos animais dos zoológicos?

Sobre o caso da garota estuprada por 33 bandidos

menina-estuprada-30

Sobre o caso da garota drogada estuprada por 33 drogados e vendedores drogas o que eu posso dizer é o seguinte:

SE A POLÍCIA DO RIO TRABALHASSE direito nada disso teria acontecido, sabe porque?

1 – Se os bandidos e drogados que participaram do estupro coletivo tivessem sido presos ou mortos pela polícia pelos seus outros crimes, eles não teriam cometido essa barbárie.

2 – Se a garota tivesse sido presa por sua associação com o tráfico de drogas, o que ela mesma revelou no Facebook publicando fotos com armas de traficantes, ela não teria sido estuprada naquela noite pelos 33 bandidos.

Os santos, os bons e perfeitos, a palmatória do mundo, acusam nós, pessoas racionais de estarmos inocentando os estupradores drogados e culpando e condenando a vítima, as drogas, o funk, a mídia ao invés de culpabilizar única e exclusivamente o machismo e a tal “cultura do estupro”.

Nós pessoas inteligentes sabemos que os grandes culpado dessa história toda é o sistema de segurança pública que é associado com a criminalidade e a cultura do “sexo, drogas e diversão” , que prega que sexo e drogas são as melhores coisas do mundo e que os jovens podem fazer o que quiserem, quando e do jeito que quiserem sem precisar arcar com as responsabilidades e nem com as consequências, quem tem que se responsabilizar são os pais e o estado.

Drogas (álcool e todas as outras)  trazem tudo o que é de ruim e exacerbam tudo o que é ruim, com drogas a agressividade se transforma em violência e uma orgia pode se transformar em barbárie, que foi o que aconteceu nesse caso.

Enquanto a sociedade continuar cultivando esse pensamento de que drogas são algo maravilhoso que traz alegria, afasta a tristeza e dá coragem, que todos tem capacidade para não se viciarem e não prejudicarem a si mesmos e aos outros, enquanto continuar a se enganar dessa forma, a violência vai só crescer, crescer cada vez mais.

Penas mais severas não vai resolver, a mulher que sofre violência também termina praticando violência com os que estão sob o jugo delas, as crianças, os idosos e outras mulheres…é um círculo vicioso que começa com o vício no sagrado e idolatrado álcool e o cigarro que abre as portas para todas as outras.

Vivemos numa sociedade viciada e uma sociedade viciada é como um viciado: desequilibrado, insano, agressivo, violento,etc, etc…

Nossa sociedade precisa de uma desintoxicação, de uma reabilitação, mas isso só vai acontecer depois de algumas epidemias de doenças, tragédias naturais e uma terceira guerra mundial que vai dizimar milhões e assim mostrar para todos que existem coisas mais importantes que “sexo, drogas e diversão”.

 

BELA, RECATADA E DO LAR COM MUITO ORGULHO!

Marcela Temer
Marcela Temer

A revista Veja publicou uma matéria sobre a mulher do vice presidente Marcela Temer, o jornalista ironizou no título usando o adjetivo com o qual a irmã de Marcela a classificou “recatada” e como a vice primeira-dama não trabalha fora e realmente é jovem e bonita ele criou o título como uma expressão dos anos 30 , 40 e 50: “BELA,RECATADA E DO LAR”. O jornalista foi claramente irônico no título e também em alguns trechos da matéria, mas os simpatizantes de esquerda e do PT, que odeiam a revista Veja considerando-a (assim como a rede Globo) um meio de comunicação de direita que persegue o governo, criaram a história absurda de que a revista com a publicação dessa matéria estava pregando que a mulher recatada e do lar era a mulher ideal e que de agora em diante as mulheres do nosso país deviam seguir esse padrão tendo Marcela Temer como exemplo. As esquerdistas começaram a postar fotos com poses ridículas exaltando o jeito puta e bêbada de ser, até aí tudo bem, foi até engraçado, a coisa piorou quando um bando de desavisadas sem nem saber a origem da coisa começaram a fazer o mesmo e assim a hashtag #belarecatadaedolar foi a modinha da semana.

Muitas garotas aproveitaram a modinha para se exibirem mostrando suas fotos mais ousadas, muitos gays aproveitaram para postarem as fotos vestidos de mulher e em poses beirando o pornográfico, os enrustidos também se realizaram postando fotos vestidos de mulher fora do carnaval, as mulheres que gostam de encher a cara postaram orgulhosas fotos com suas garrafas e copos…um festival de putaria, parecia que era uma espécie de “semana nacional de homenagem as putas”.

Foi tudo muito engraçado e divertido, o problema foi que essa gente não ficou apenas no bom humor e brincadeira e partiram para o ataque com os seus discursos de “donos da verdade absoluta” , atacando todas as pessoas que se manifestaram contra os insultos feitos a pessoa da mulher do vive presidente e todos os que se manifestaram expressando que não viram nada de imposição de padrão de comportamento na matéria da revista. Uma tempestade de discursos feministas mais inflamados e argumentos ridículos, todos quando rebatidos defendidos como escudo do vitimismo hipócrita: “queremos o debate…troca de idéias…diálogo”. Na cabeça desses extremistas aquela simples coluna de uma revista que poucos iriam saber da existência e que só ficou muito conhecida porque eles ficaram divulgando é uma ameaça, pois pode fazer com que as pessoas simpatizem com o vice presidente, uma idiotice.

E essa palhaçada toda fez com que muita gente passasse a simpatizar com a mulher do vice presidente e torcer para que ela seja em breve a primeira dama do país.

Marcela na capa da revista TPM a mais moderna das revistas femininas numa matéria mais controversa que a da Veja, mas como a TPM não é considerada "a revista do golpe" e nessa época as coisas não estavam feias para o governo Dilma.
Marcela na capa da revista TPM  numa matéria mais controversa que a da Veja, que não gerou polêmica porque TPM não é considerada “a revista do golpe” e nessa época nem se sonhava em impeachment , inclusive, os simpatizantes do PT a defendiam quando alguém sugeria que ela tinha dado “o golpe do baú no velho rico”, agora são eles que dizem isso.

O ÓDIO

Bem, em todas as manifestações ficou claro o ódio das superpoderosas contra as mulheres recatadas. A inveja das fracassadas por uma mulher que pode se dar ao luxo de ser dona de casa. Notou-se que as superpoderosas “vadias” da marcha são insanamente inseguras, por causa de uma simples e ridícula matéria de revista sentiram-se ameaçadas, imaginando que iriam perder o trono onde estão e de onde ninguém pode tirá-las.

Na revista o jornalista ironizou a situação, em nenhum momento a revista pregou que esse era o comportamento ideal para a mulher. E se tivesse sido um elogio, uma exaltação mulher recatada e do lar, qual o problema? Não é porque se elogia um comportamento que se está menosprezando o outro. As mulheres independentes financeiramente expansivas, liberadas e sensuais são a maioria absoluta, e isso já há décadas, não há motivo para se revoltarem com isso. O Dia da Mulher é dedicado a vocês, as do lar sequer são lembradas, agora nem mais no dia das mães por representarem minoria absoluta. Os ídolos são mulheres como Madonna, Angelina Jolie , etc… estão se incomodando e reagindo já estando no poder. Se o problema é a presidência, a presidenta se envolveu em crimes cabe a ela provar inocência, se fosse um presidente homem teria ocorrido o mesmo, tanto que o ex presidente também está sendo investigado por outros atos, não é a “bela, recatada e do lar” que vai tomar a presidência da “guerreira independente” é o sistema do qual ela faz parte que vai tirá-la de lá.

A MULHER IDEAL

A sociedade e toda a mídia pressionam a mulher atual a ser bela, magra, sexy, fazer sexo com homens e mulheres, beberem muita bebida alcoólica, usar drogas , ser independente financeiramente e consumista. Nenhum meio de comunicação mostraria a mulher “do lar” como mulher ideal porque isso seria contraproducente para a sociedade de consumo, para a economia. Hoje a maior parte dos lares brasileiros são sustentados financeiramente por mulheres, elas são as chefes de família.

A mídia em nenhum momento exaltou a mulher “recatada e do lar” ,  jamais mostraria a mulher recatada e do lar como exemplo porque isso seria contraproducente para a sociedade de consumo e economia, a maioria absoluta das mulheres trabalham fora , vivemos num país onde a maioria dos lares é sustentado por mulheres. Estão se incomodando exageradamente com algo pequeno e pouco significativo.

RECATO

Estão confundindo o significado da palavra RECATO com a palavra submissão. Uma mulher pode ser recatada e não ser submissa. Recato tem a ver com a forma de se vestir, atitude e comportamento sexual . Uma mulher recatada é simplesmente uma mulher que não se veste com roupas sexys e sensuais que não tem atitudes sensuais, provocativas, que não se insinua, que não usa o sexo para conseguir o que quer e que não gosta de se embriagar e usar drogas. Do lar é a dona de casa , a mulher que só trabalha em casa e nem todas são submissas a maioria inclusive é controladora e é quem decide o que é feito com o dinheiro que o marido ganha e exerce poder sobre marido e filhos. Ser Recatada é ESCOLHA , PERSONALIDADE. Cresci com a mídia e a sociedade impondo que todas tinham que ser sexys, independentes, transar com homens e mulheres (fazer menage e experimentar) , que tinha que experimentar drogas, que tinha que beber muita cerveja, vodka, cachaça, as mulheres exemplo eram Madonna, Xuxa, Carla Perez, Tiazinha, Feiticeira…feministas cobrando esse tipo de atitude, gays cobrando esse tipo de atitude, homens cobrando isso, a imagem da mulher brasileira é essa, agora um jornalista ironiza em uma coluna de revista e de repente lembram de nos infernizar de novo. A MULHER TEM O DIREITO DE SER E AGIR CONFORME A SUA PERSONALIDADE. Se não gosta de beber, fumar e andar com roupas decotadas é um direito ser assim.

DIREITO E ORGULHO

Qualquer mulher tem o DIREITO de ser RECATADA E DO LAR do mesmo jeito que a maioria das mulheres tem o seu direito escolhido ou por falta de escolha de ser profissional de qualquer área e comportamento expansivo e sensual ou prostituta, traficante, estelionatária, ladra etc, (para citar algumas das atividades que as pessoas tanto admiram em uma mulher). Assim como acho que a Dilma deve ser respeitada por ser presidenta, mulher e idosa, acho que Marcela Temer também merece ser respeitada. Não gostam do marido dela, não gostam da revista, critiquem e chacoteiem o político e a publicação. PS: não me considero bela mas sou recatada e do lar com muito orgulho.

 

8 DE MARÇO DIA DA MULHER: Parabéns mulher de verdade!

Nunca na história da humanidade foi tão difícil ser mulher. Antes sofríamos apenas nas mãos dos homens machistas e das putas, agora sofremos nas mãos das feministas e dos gays. Sim, todos esses nos exploram, nos humilham e tentam nos submetem há uma “lavagem cerebral” para alcançarem seus próprios objetivos que não nos beneficiam em nada. Nós lavamos, passamos e cozinhamos para esses grupos, cuidamos dos seus filhos, muitas vezes essas criaturas são nossos filhos e a paga que recebemos é hipocrisia e humilhação. EXISTEM FEMINISTAS QUE REALMENTE SE PREOCUPAM COM OS DIREITOS DAS MULHERES E GAYS E HOMENS QUE RESPEITAM AS MULHERES, mas aqui vou falar do lado negro da força.

A ESQUERDA DO MACHISMO

Feministas parecem que lutam pelos direitos das mulheres, elas nos rotulam como “vítimas”, “oprimidas”, ser vítima e oprimido significa ser mais fraco e estar em desvantagem, ou seja, a mesma coisa de “sexo frágil” com a qual os machistas nos rotularam.

Elas parecem mesmo lutar por direitos iguais, mas quando abrem uma empresa ou assumem um alto cargo de chefia elas pagam para as funcionárias mulheres um salário inferior ao que é pago aos funcionários homens, ou seja, dão continuidade ao que os machistas estipularam como padrão.

Elas ostentam que foi o movimento feminista que garantiu as mulheres o direito de votar (e não foi nada disso, foram os machistas que viram que seria um bom negócio dado o fato que o número de mulheres na população estava superior ao número de homens, ou seja, simples questão matemática) mas, quando elas chegam a presidência da república de uma nação elas não instituem a lei de salários iguais, coisa que um presidente da república pode fazer. Enfim, quando chegam ao poder fazem o mesmo que os homens fazem.

Elas são ativistas de direitos humanos, elas postam na internet em seus perfis, páginas, blogs e comentários fortes discursos sobre toda a opressão que as mulheres sofrem do “mundo machista”, vão para as ruas e fazem manifestações, mas… não lavam nem as próprias calcinhas…sim, as mães (ou as empregadas) são quem cuida da casa, das roupas e da comida e dos filhos delas. Quando chegam em casa, agem do mesmo jeito que elas tanto criticam nos homens, ou seja, tratam as mães e/ou empregadas da mesma forma que os machistas tratam: “Já lavou aquela roupa? Ainda não?! O que você fica fazendo o dia todo?” , “Eu trabalho o dia inteiro, você fica o dia todo dentro de casa sem fazer nada e não conseguiu fazer o que eu mandei você fazer?” , “Eu, lavar a louça? Eu trabalho o dia todo, estudo, eu tô cansada.” etc, etc… O bonito discurso de divisão de tarefas, de igualdade de de direitos fica na internet, na faculdade, na mesa do barzinho, na reunião de amigos, na rua onde rolou a manifestação, enfim, na fumaça da maconha que fumou com os amigos enquanto discutiam sobre como a sociedade é injusta com as mulheres e assim como essa fumaça se dissipou no ar e não chegou dentro de casa. Pobre mãe, tia, avó, prima, empregada…as feministas estão sempre ocupadas demais tentando mudar o mundo para arrumarem as próprias camas, cozinharem suas refeições, lavarem suas roupas, etc…assim como os machistas.

Elas apontam todos as características da crueldade dos machistas e dizem estar do lado das mulheres, agora ouse uma mulher questionar algo do que elas dizem que na mesma hora elas se tornam tão agressivas como os homens, na mesma velocidade e na mesma intensidade e já soltam o “Você é machista!” , “tá falando merda!” , “você é uma ignorante!”, enfim, nos tratam no mesmo tom agressivo e falam praticamente o mesmo que os homens machistas falam para nós, as afirmações básicas de sempre: nós somos burras, nós nunca entendemos e nem fazemos nada direito.

Muitas delas são lésbicas e bissexuais assumidas, a maior parte enrustida e a menor parte mulheres heterossexuais complexadas e traumatizadas por rejeição ou agressão que sofreram nas mãos de homens imprestáveis. Todas consideram que todos os homens heterossexuais são tiranos machistas. Quando uma mulher diz que não sente atração sexual por mulheres elas dizem que foi o machismo que enfiou esse conceito na nossa cabeça, ou seja, gostamos de homens porque o “machismo opressor” nos obrigou a ser assim, esquecem que somos animais, que existe macho e fêmea entre todos os mamíferos, família animal da qual pertencemos, tentam nos convencer que todas nós somos bissexuais; também acontece de nos acusar da tal homofobia e aí a coisa cai no ridículo completo. Elas tentam lavar nossa cabeça tentando nos convencer de que todos os homens são perversos que só vão nos trazer sofrimento, que eles não são capazes de amar e que a solução perfeita seria: é claro, amar somente as mulheres. Assim como o machismo tem origem no narcisismo exagerado que é também a raiz da homossexualidade (ama tanto a si mesmo que só pode amar quem é igual) o amor exagerado delas pelo que elas chamam de “feminino” é nada mais nada menos do que o amor por si mesmas. Detestam os homens não porque sejam mal e opressores, eles são os rivais e é preciso vencer os rivais em todos os níveis, no poder e no sexo. A única coisa em que machistas e feministas concordam, a única coisa fora o poder que eles ambicionam é o sexo a três, o famoso menáge, só que na forma de duas mulheres com um homem (é claro, dois homens seria abuso, estupro, violência contra a mulher), ambos, feministas e machistas tem a putaria em trio com duas mulheres como a fantasia principal e a pintam como a melhor experiência sexual que alguém pode viver… isso deixa nítido o quanto eles – feministas e machistas – são os dois lados da mesma moeda, a esquerda e a direita de uma mesma merda.

Elas dizem que mulheres não devem sonhar em casar e ter filhos…com homens! Não podem ter sonhos românticos com homens, não podem ler livros, assistir filmes com história de amor, acusam a Disney com seus desenhos de ter enfiado a ideia de príncipe encantado em nossa cabeça – como se os contos de fada já não existissem há séculos antes de Walt Disney ter nascido – , enfim, não podemos gostar de romance, não podemos sonhar em viver um grande amor…com homens! Se for com mulher, tudo bem. As lésbicas feministas fazem lindas cerimônias de casamento, adotam crianças ou mesmo engravidam e tudo é pintado com muito romance, com toda a maravilha da palavra AMOR. Por que homossexuais podem sonhar com casamento, com família e nós não?

MACHISMO GAY

 

As feministas não os incluem, mas eles são uma das bases mais fortes do machismo. Eles dominam o mundo da moda, são eles que determinam, que nos dizem o que devemos vestir, o tipo de cabelos que devemos usar, o peso que devemos ter. Milhões de mulheres no mundo todo se tornaram anoréxicas porque eles nos convenceram que o bonito era ser cadavérica, agora milhares de mulheres ficarão gordas e morrerão em mesas de cirurgia fazendo lipoescultura (ou de complicações dessas cirurgias) porque eles estão nos dizendo que é bonito ser “plus size” que é: a gorda sem barriga, com cintura de lipoescultura e seios de silicone.

As feministas queimaram os sutiãs e até hoje dizem que esta peça do vestuário é um símbolo da opressão machista, só que o sutiã FOI INVENTADO POR UMA MULHER. Quando dizemos isso elas argumentam (com a agressividade que lhes é peculiar)que o sutiã de hoje em dia não é como foi criado que deixou de ser uma simples vestimenta para ser um acessório de fetiche masculino. Agora vejamos, quem inventou os bojos, os arcos de metal, as alças finas demais – que não oferecem sustentação- e outros detalhes que sexualizaram a peça foram “eles”, isso pensando mais neles mesmos que necessitavam criar algo que fizesse os travesti parecerem ter seios ou os que tinham peitos pequenos parecerem terem maiores e, é claro, para ganhar muito dinheiro. Toda a história de que temos que usar salto, apertar a cintura com cintas apertar os seios para parecerem mais juntos e maiores, tudo isso foi invenção dos deles e não dos homens machistas. Os gays são uma grande força do machismo. As feministas se quisessem realmente o nosso bem e estivessem realmente do nosso lado levariam em consideração a força gay no machismo, mas enfim, eles são todos farinha do mesmo saco.

Muito comum vermos homens gays mimados vivendo às custas do dinheiro de mães velhinhas que os mimaram demais durante a infância. Muito comum também verem que eles também , em sua maioria, não dividem as tarefas domésticas com as mães e irmãs e é claro com a mesma desculpa do excesso de trabalho somado ao vitimismo, o clássico “eu sou tão discriminado” , “ninguém gosta de mim porque eu sou veado” e se alguma mulher da família reclamar que a criatura não ajuda no serviço doméstico começa o dramalhão: “ela não gosta de mim porque eu sou veado”… e na maneira de tratar a mãe e/ou empregada o tratamento é pior do que o das feministas e homens machistas “Sua imbecil, você ainda não fez a minha comida? Eu trabalho o dia inteiro, você fica o dia inteiro vagabundando e quando eu chego em casa a comida não tá pronta! Piranha inútil!”…e se uma mulher enfrenta eles, automaticamente já ganha o rótulo de “mal comida”, a explicação eles têm na ponta da língua: “falta de rôla”; e a verdade é que as únicas criaturas no mundo que sofrem a tal “falta de rôla” são eles, porque para uma mulher, por mais feia e pouco atraente que seja, por mais velha que seja, “arrumar uma rôla” não é nenhum problema, na verdade é a coisa mais fácil do mundo de se arranjar, exceto é claro, para aquelas que gostam de namorar com gays e que seguem os conselhos e dicas dos amiguinhos, essas pobrezinhas, infelizmente não só não vão encontrar homens de verdade como perdem aqueles com quem se relacionam seguindo os conselhos maquiavélicos dos “amiguinhos” .

 

BREVE HISTÓRIA DA MULHER NA HUMANIDADE

O machismo escreveu e as feministas dão continuidade ao que foi escrito, que nos primórdios da história da raça humana, na idade da pedra, os homens caçavam e as mulheres cuidavam dos filhotes, os homens puxavam as mulheres pelos cabelos para as suas cavernas e as forçavam a copular e a permanecerem vivendo com eles.

Mas a verdade é que assim como as fêmeas da maioria dos mamíferos, o mais provável é que as fêmeas viviam sozinhas, caçavam e criavam os filhos sozinhas, os homens se aproximavam, “cruzavam” com elas – as vezes na marra outras vezes com consentimento da fêmea que até fazia artimanhas para atraí-lo ou se deixava levar pelas artimanhas que o macho usava para cortejá-la – depois da cópula o macho partia e continuava vivendo sua vida solitária procurando sempre outra fêmea e a fêmea ficava grávida e criava o filhote sozinha. Um belo dia, talvez por observar outros animais que formavam casal, a fêmea humana cansada do serviço pesado de sozinha, caçar e cuidar dos filhotes  – cada um de um pai diferente –  observando também que os machos levavam vantagem na caça por terem mais força física, mais altura e serem mais agressivos, a fêmea humana resolveu propor um acordo com o macho: ela cruzaria com ele sempre, toda hora, todas as vezes que ele quisesse, somente com ele, em troca ele caçaria para ela que ficaria na caverna apenas cuidando do filhote e preparando o ambiente para que ele tivesse o maior conforto possível. O macho humano achou um bom negócio e foi feito o CONSÓRCIO e assim surgiu a instituição mais significativa que se tem história, essa instituição se chama: FAMÍLIA.

Nada de novo sob o sol, não foi algo como descobrir o fogo ou inventar a roda, porque os macacos já tinham algo parecido, mas a família humana era mais sofisticada, a mulher criou regras como: o macho não podia cruzar com as filhas, outras fêmeas – um harém – só seriam aceitas caso houvesse muita fartura e não faltasse comida e nem atenção para nenhuma delas, ou seja, todas comessem bem e os filhotes delas também, é claro.

A coisa funcionou bem até que na sociedade moderna os machos se tornaram escravos dos vícios. Todos os machos de todas espécies animais são mais agressivos que as fêmeas, só que somente o macho humano se droga e as drogas potencializam a sua agressividade. O vício também leva a dificuldades financeiras isso traz estresse que também aumenta as reações agressivas e tudo isso leva a violência e as mulheres e as crianças são os que não possuem força física o suficiente para se defender. Em resumo, a violência contra a mulher é algo além do machismo.

Os homens foram fazer guerra, muitos morreram e outros ficaram mutilados e doentes e as fêmeas humanas tiveram que voltar aos primórdios, tiveram que voltar a caçar, bom o resto da história já sabemos como ficou.

Hoje em dia as fêmeas sustentam os homens viciados que as agridem, os filhos mimados viciados ou afeminados (ou os dois) cada um de um pai diferente, as filhas que engravidam ainda adolescentes e não lavam nem as próprias roupas, nem fazem a comida igual aos rapazes e também os netos, crianças insuportáveis que querem tudo o que aparece na TV… infelizmente estão em pior situação que na idade da pedra.

PARABÉNS AS MULHERES DE VERDADE

Nesse dia das mulheres quero parabenizar você, mulher heterossexual que gosta de homem, que não sustenta vagabundo, que sabe que uma mulher pode escolher não se casar com um alcoólatra, ou com um drogado ou com um bandido ou um sujeito que seja as três coisas e que a mulher que decide ficar com um sujeito como esse vai apanhar mesmo e se beber muito e se drogar também vai apanhar mais ainda; você que sabe que mesmo que seja instituída a pena de morte para estupradores NÃO DEIXARÁ DE EXISTIR ESTUPRADORES, você que sabe que se vestir com roupas curtas e provocantes chama a atenção dos maníacos e que beber demais facilita o assedio deles, você que sabe que as vezes parecemos extremamente submissas , mas na verdade estamos num bom acordo com nossos companheiros, que as vezes algumas de nós parecemos estarmos sendo controladas mas somos nós que estamos no controle da situação, parabéns para você que sonha em se casar e ter filhos, para você que gosta de histórias de amor, para você que gosta de cor-de-rosa, para você que gosta do seu trabalho, da sua profissão e também pra você que é dona de casa, para você que pensa por conta própria…enfim, parabéns para você mulher de verdade!

 

O NOVO CORPO DA BARBIE

12605295_1187530321276786_3850159539268450732_o

Ok, mas mantenham disponível a Barbie clássica. As demais são e sempre serão as amigas da Barbie.

Jéssica Moraes

(comentário em uma postagem da página Barbie do Facebook)

Na última semana a Mattel apresentou ao mundo as novas bonecas Barbie, com três tipos de corpos representando a mulher de estatura mediana, a de estatura alta e a mulher com sobrepeso e de outras etnias fora as que já haviam (negra, ruiva, oriental,etc) além dessas características as bonecas também possuem tamanhos diferentes de pés.

É claro que as novas estaturas, não chamaram muito a atenção porque desde o lançamento de Stacie/Skipper, a irmã adolescente de Barbie, para todo mundo já existia a “Barbie baixinha” , a boneca alta também não chamou a atenção porque a Barbie sempre foi considerada uma representação de uma mulher alta, sendo assim, quem surpreendeu o mundo foi a “Barbie gordinha”  tanto que foi a escolhida para a capa da revista Time.

12622461_1187578457938639_4828631254760468085_o

AS GORDINHAS GANHAM O MUNDO

Desde os anos 90 que muito se critica o corpo da boneca mais famosa do mundo.

O corpo da boneca foi acusado de ser o responsável pelo boom dos casos de anorexia e de ser a causa de depressão e baixa autoestima em meninas do mundo todo.

Muitos artistas plásticos e designers criaram Barbies gordas para campanhas de conscientização, de críticas e piadas sobre a plástica utopicamente perfeita da boneca.

Já faz muito tempo que a Barbie não tem mais aquele par de seios enormes, cintura minúscula, quadril arredondado de nádegas pequenas e pernas longas e torneadas, ou seja aquele corpo de boneca. A partir final dos anos 90 e no decorrer dos anos 2000, o corpo da Barbie sofreu mudanças drásticas, se tornando cada vez mais realista e passou a existir três linhas de Barbie: uma linha para colecionadores e adoradores adultos, uma linha inspirada nos filmes de animação da Boneca e a linha “popular” com bonecas mais simples, com somente as articulações básicas e preço acessível. A Mattel, fabricante oficial, chegou a todas as partes do mundo e isso padronizou a fabricação das bonecas, aqui no Brasil, por exemplo, quem fabricava era a estrela e qualquer pessoa que viajava ao estrangeiro sabia que existia uma sensível diferença entre as Barbies daqui em comparação com as de outros países.

O universo de fantasia das Barbies das animações do cinema e dos jogos eletrônicos (as bailarinas, as princesas, as sereias, etc) contrastava com as da linha A, repletas de articulações, com diversas cores de pele, olhos e cabelos, com roupas seguindo as últimas tendências da moda e até roupas criadas por grandes grifes exclusivamente para as bonecas (as fashionistas e outras). Também pertencentes a essa linha superior , estavam as bonecas inspiradas nos personagens de filmes de sucesso, com aparência idêntica aos dos atores que interpretaram os personagens (como a Barbie e o Ken Saga Crepúsculo, por exemplo). Foi é claro, nessas linhas especiais onde houve maior desenvolvimento desse realismo na plástica das bonecas, a cada coleção, mais proximidade com características de mulheres e homens reais, loiros, negros, ruivos, morenos e asiáticos. Enfim, há bem mais de uma década Barbie não tem mais um corpo de boneca, tem um corpo de mulher.

A atual Barbie, tanto a de luxo como a simples, tem o corpo mais cheinho e curvilíneo, mais rechonchudo do que a da modelo com o corpo mais perfeito do mundo a Candice Swanepool, ou seja a Barbie é atualmente mais gorda do que uma top model, mas mesmo assim sua plástica continua sendo alvo de críticas e vista como um mau exemplo.

O mundo da moda descobriu um novo filão de mercado: as mulheres gordas. Esse mundo de muito dinheiro percebeu o quanto poderia lucrar com o aumento fenomenal do número de mulheres com sobrepeso no mundo, tendo a informação que essas mulheres não só consomem mais comida como também roupas e acessórios, por vício de consumismo causado por baixa autoestima, excesso de mimos e privilégios na infância e adolescência, vida sedentária e ociosa, alimentação baseada em produtos industrializados por não saberem cozinhar ou por excesso de horas de trabalho, por menos durabilidade devido ao maior desgaste em roupas e principalmente sapatos devido ao constante aumento das medidas e excesso de peso (que desgastam as solas) e outros inúmeros fatores. E assim surgiram as modelos “plus size”.

Se existem as modelos gordinhas, já estava mais que na hora de existir as Barbies gordinhas, afinal, mulheres gordas compram Barbies e agora estão acostumadas a consumirem coisas que são feitas “especialmente” para elas e é claro, as meninas gordinhas de hoje, serão as gordas de amanhã.

As modelos plus size representam um padrão de beleza tão inatingível para a maioria das mulheres quanto as modelos magérrimas, garotas e mulheres gordas não possuem aquelas cinturas finas, aquelas barrigas chapadas que são resultado de lipoescultura, seios na altura das axilas, que são próteses de silicone; a maioria das mulheres gordas não são altas como elas (as mulheres mais altas tendem a ser mais magras), têm muita celulite e estrias, coisas que não se vê na pele dessas modelos por causa do photoshop, tratamentos estéticos, maquiagem e juventude.

A Barbie gordinha ou curvilínea como é chamada é mais ou menos como as plus size, não tem bochechas proeminentes e nem queixo duplo e sua cintura é bem fina como uma gordinha com lipoescultura, enfim, uma beleza somente atingível com plástica, assim como

a da magrinha.

o menino estilista do comercial da Barbie com roupa da grife Moschino
menino barbie o menino estilista do comercial da Barbie com roupa da grife Moschino

BARBIE: BRINQUEDO DE MENINO

A fabricante da Barbie já havia chamado a atenção do mundo há pouco atrás, no ano passado, quando lançaram uma campanha publicitária onde aparecia um menino. Era a primeira vez que um garoto aparecia em um comercial de bonecas com a boneca mulher, a primeira vez que um comercial de bonecas era direcionado também para os meninos, mostrando que boneca também é um brinquedo consumido por meninos.

Desde o boom de mães solteiras, de mulheres que criam filhos sozinhas, que são chefes de família, que existe “pais” que compram bonecas para os filhos homens. Um pai heterossexual não compra uma boneca para o filho, casos assim são exceções, raras exceções daqueles pais que fazem todos os gostos dos filhos, qualquer coisa que o filho ou filha pedir ele podendo comprar, compra, podendo fazer, faz, ou seja, pessoas que não conseguem dizer não a um filho; em geral, não, isso não ocorre, um pai heterossexual não compra uma boneca para um filho e vai reagir negativamente caso o filho peça uma boneca de presente o que pode variar desde ficar deprimido a dar uma surra no garoto.

Mas, as mães, chefe de família sempre compraram e vão continuar comprando e toda pessoa inteligente sabe que o homossexual é homossexual desde a mais tenra infância, que essa história de “orientação sexual” vai cair por terra daqui há alguns anos assim como a história de “opção sexual” e o “homossexualismo” (que hoje é homossexualidade). E o do sexo masculino homossexual quando é afeminado, é algo perceptível já a partir dos 4/5 anos de idade,(a mulher homossexual masculinizada, a mesma coisa). Enfim, se existe menino que quer bonecas, meninos que brincam de bonecas e mães, avós e tias que compram era preciso ter um menino em um comercial de bonecas de preferência das bonecas da linha fashionista, a preferida dos meninos gays.

Os bonecos Ken já alguns anos possuem traços andróginos, no passado eram representações de homens másculos e viris, fortes, bronzeados, com rosto anguloso, etc… agora, quando olhamos para os bonecos Ken, vemos rapazinhos afeminados.

12657179_1188450641184754_8781900460305297336_o

AGORA NÓS PODEMOS PARAR DE FALAR DO MEU CORPO?

Agora a Barbie é brinquedo de menino, a Barbie não tem mais o corpo irreal de ampulheta, não tem mais uma beleza inatingível, a Barbie é negra, ruiva, morena e oriental, a Barbie agora é de diversas etnias; a Barbie é alta, a Barbie é baixinha e a Barbie enfim, é gordinha. Será que agora dá para pararem de falar da aparência dela?

Não, não vão parar de falar, ainda está faltando a Barbie obesa, deficiente, cadeirante, mutilada, com prótese, cega, com síndrome de down, etc, etc… a lista é infinita.

Mas uma coisa é certa, mesmo que sejam criadas todos esses tipos de Barbie que ainda faltam, a Barbie NUNCA SERÁ FEIA, sempre terá traços simétricos e harmônicos e isso SEMPRE incomodará muita gente.

E verdade seja dita, mesmo que criem Barbies com todos os biotipos humanos, as meninas e os meninos gays de todas as partes do mundo sempre desejarão a Barbie branca, loira, magra, de olhos azuis, rosto oval e nariz afilado, porque assim são as grandes Top Models (elas são mais magras que as Barbies fashionistas), as grandes estrelas do cinema (Jeniffer Lawrence tem o rosto mais bonito que o de muitas Barbies) e as estrelas da música (Kate Perry é mais branca do que a Barbie mais branca), PORQUE DESEJARÃO, COBIÇARÃO, SEGUIRÃO, IMITARÃO O REFERENCIAL HUMANO E O REFERENCIAL HUMANO É A INFLUÊNCIA MÁXIMA.

As meninas se tornam anoréxicas para terem o corpo da modelo, da atriz e da cantora que elas vêem nas revistas, na TV, no Cinema e na internet E NÃO POR CAUSA DE UMA BONECA.

A mudança começou com as bonecas, quando deveria ter começado com as pessoas.

Mas, enfim, foi uma mudança e o mais importante, foi um COMEÇO. Vamos torcer para que a mudança nas bonecas influencie um sentimento de mudança real, por sentimento e não por mercado, por dinheiro e lucros, na sociedade, nas pessoas.

PS:

Espero que as mudanças sejam estendidas ao Ken, seria legal ver um Ken gordinho, um altão, um baixinho, um Ken calvo (seria o máximo um carequinha) , um Ken grisalho (um coroa) e é claro, o mais interessante, um Ken com uma aparência bem máscula.

E também gostaria de ver as Barbies maduras, com aparência de mulheres a partir dos 45 anos e porque não, uma Barbie vovó?

Seria maravilhoso ser uma menina rica nos tempos de hoje para poder ter essas bonecas diferentes. Quando eu era criança, só tinha uma Barbie e um Ken, uma amiga da Barbie, a sua irmã Skipper e uma boneca similar a Barbie. Essas bonecas e umas três bonecas com aparência de criança de tamanhos desproporcionais, eram os únicos “atores” com aparência humana das minhas histórias, os outros personagens, apesar de serem pessoas, eram representados por bichos de borracha, de pelúcia, etc… O sujeito gordo e bonachão era um urso de pelúcia, a boneca bebê careca, com uma peruca ou lenço na cabeça, era a mulher gorducha, etc…rsrs

COLORINDO LIVROS

Se você anda se sentindo de saco cheio de tudo, sem vontade de fazer nada, um desânimo enorme,  fica nervosa(o) e xinga a si próprio por qualquer coisa idiota como o simples derrubar de alguma coisa no chão, o tropeçar em alguma coisa, etc… eu vou te dar um dica, pode parecer ridícula a princípio – a mim também pareceu – mas por favor, pense no assunto, pois, se deu certo comigo, pode dar certo com você também; a minha dica, meu conselho é: Compre um livro de colorir para adultos, uma caixa de canetinhas e outra de lápis de cor e COMECE A COLORIR!

ANTIESTRESS: Como tudo começou

Assim como você pode estar pensando agora, também passou pela minha cabeça o pensamento de que era mais um modismo consumista, uma nova forma encontrada pelo mercado de artigos para papelaria de ganhar mais dinheiro. Acredite, colorir livros realmente relaxa a mente, descansa a visão (estragada pelo excesso de uso de computadores Smartfones, etc… e noites em claro).

A moda começou mesmo com o sucesso do livro de uma Holandesa com cara de Chinesa chamada Johanna Basford. Secret Garden, aqui no Brasil, Jardim Secreto, é um livro todo ilustrado a mão, que se tornou um Best Seller mundial, depois dele o mercado editorial não foi mais o mesmo, foi aberto uma nova categoria para sempre: a dos livros para colorir para adultos.

Depois de Secret Garden surgiram inúmeras imitações por todo o mundo e também outros estilos de livros com diferentes estilos de ilustrações, feitas a mão ou por computação gráfica que em geral possuem como característica mais marcante possuírem muitos detalhes pequenos, bastante intrincados, o que exige muita atenção e concentração pra quem vai colorir e isso seria um dos elementos que ajudam a combater o stress, pois ao se concentrar para preencher com cor os intrincados desenhos se distrai a mente das preocupações excessivas.

Muitos desenhos levam tempo para serem coloridos, tanto pelo tamanho como pela quantidade de pequenos detalhes e isso também tem efeito terapêutico: depois que a mente relaxa e enquanto estamos concentrados colorindo e empenhados em alcançar o objetivo de colorir todo o desenho, começamos a pensar nas coisas que temos que resolver e começam a surgir soluções que quando parávamos para pensar exclusivamente nas coisas não conseguíamos encontrar. Misteriosamente, nos lembramos de coisas que tínhamos esquecido, como por exemplo: coisas que não lembrávamos onde tínhamos guardado ou deixado, números de telefone, endereços, etc…

O prazer, o sentimento de missão cumprida ao ver um desenho e, melhor ainda, um livro terminado, também é algo que faz muito bem.

COISA DE CRIANÇA

Num mundo onde os adultos jogam videogame, consomem e colecionam revistas em quadrinhos e vão ao cinema para assistirem desenho animado, filmes de fantasia e filmes de super heróis, é absurdo e de suma ignorância considerar a atividade de colorir livros como algo infantil e ridicularizar as pessoas que são adeptas dessa atividade, porque isso sim é um comportamento infantil (mais precisamente daqueles chimpanzés chamados de crianças que habitam o fundo das salas de aula de todas as escolas).

COISA DE RICO

Existem livros caros e livros baratos; lápis de cor, canetinhas, gizes caros e baratos, enfim, existem livros e materiais para ricos e para pobres.

A questão do tempo também é apontado como um dos fatores que classificam essa atividade como atividade para rico. Existem ricos que trabalham muito, em trabalhos muito desgastantes e de imensa responsabilidade que tem muita dificuldade em encontrar tempo para colorir assim como os pobres que pegam ônibus lotado em pé de madrugada, passam o dia trabalhando e só chegam em casa a noite após pegar ônibus lotado em pé de novo. Ao passar por um bairro de periferia ou comunidade carente veremos muitas pessoas desocupadas na rua ou assistindo TV em casa e em bairros de classe média e classe média alta podemos não encontrar praticamente ninguém ocioso ou ninguém nas casas, todos estudando e/ou trabalhando, então essa história de que rico tem mais tempo ocioso não é verdade.

Existem livros e caixas de lápis de cor ou canetinha de R$5,00 , R$8,00 , R$10,00… Tanto em bancas de jornal, livrarias, como em sites na Internet e é claro existem os caros e os extremamente caros.

AS OBRAS DE ARTE E AS REDES SOCIAIS

Na internet existem perfis do Instagram, páginas e grupos do Facebook e etc, onde pessoas publicam fotos dos seus desenhos coloridos. Existem coloridos que são verdadeiras obras de arte e isso nem sempre se deve ao talento descoberto por meio da atividade aliada a dedicação ao aprendizado de técnicas, muita gente pegou literalmente “carona” nessa “onda”. Blogueiras que faziam tutoriais de maquiagem, do nada passaram a ensinar técnicas de pintura, pessoas que estudaram artes plásticas, professores de pintura e desenho, ilustradores, desenhistas, designers, grafiteiros, enfim, todo o tido de pessoa que estudou desenho, pintura e trabalha ou trabalhou com isso, resolveu surfar nessa onda e tentar tirar algum proveito, não é algo condenável. Sabendo disso, não se sinta intimidada(o) a começar a colorir pensando que nunca conseguirá fazer obras primas semelhantes as que vai ver na internet e nem se sinta frustrada(o) ao comparar seus desenhos coloridos com os mesmos desenhos coloridos de forma magistral que com certeza verá, tenha em mente que muitos daqueles desenhos foram coloridos por profissionais no negócio ou “melhorados” em aplicativos e programas de edição de imagens e fotos ou as duas coisas.

Relaxe, pinte seus desenhos para você e não para os outros, se quiser fazer amizades com outras pessoas que gostam de colorir para não se sentir um ET , procure os grupos do Facebook, siga os ig do Instagram e mostre, compartilhe seus coloridos com o mundo, é muito legal principalmente se está passando por uma fase de falta de confiança em si mesmo, de achar que não faz nada direito, etc… Ao ver os mesmos desenhos coloridos com cores de mal gosto, borrados, com marcas de rabiscos, etc… e ao comparar com os mesmos desenhos dos mesmos livros coloridos por você e ver que os seus ficaram bem melhores, provavelmente vai sentir uma agradável sensação de bem estar e uma pontinha de orgulho de si mesma(o). No começo pode parecer ridículo ver comentários como: “lindo!” , “maravilhoso!” , “perfeito!” , “parabéns!” , na maioria das fotos publicadas, até mesmos nos coloridos feios, mas depois se descobre que trata-se apenas de incentivo, porque nessas comunidades todos estão em busca do mesmo objetivo: se sentir bem. Se a pessoa está em busca de pessoas que apontem defeitos no que fez, quer que lhe digam o quê fazer e como fazer, se gosta de receber críticas, vá a uma escola que tenha um professor insuportável (ou vá fazer curso de teatro rsrsrs).

Como em toda comunidade de internet , de rede social , você pode vir a fazer amigas(os) de verdade.

COISA DE MULHER (MULHER MULHERZINHA)

Olha, existem muitos – mas muitos, mesmo! – homens que colorem livros, são poucos os que se expõem nas redes sociais e geralmente somente compram seus livros e materiais via internet, eles costumam serem mais discretos.

Estamos vivendo um momento no mundo onde sofremos muita pressão para sermos todas essas “mulheres-maravilhas” feministas,  emancipadas, sensuais, que gostam de transar com mulheres e fazem sexo como atrizes de filme pornô, não precisam de família e vêem os homens como rivais e isso é mais uma coisa que nos causa muito stress.

Se as mulheres continuam, bordando, tricotando e fazendo crochê, que são as coisas “do tempo das vovós” , podemos colorir nossos livros e se os homens machistas e as feministas vierem criticar , (porque querem que nossa atenção esteja voltada apenas para eles e elas e seus objetivos de querer mudar o mundo) pegue seu livro de colorir, concentre-se na pintura e deixe eles falando (ou teclando) até se cansarem, (o bom e velho “entrar por um ouvido e sair pelo outro” rsrs).

VÍCIO E MANIA

Conhecendo os grupos do Facebook e perfis de Instagram você conhecerá diversas pessoas que estão viciadas em comprar livros e materiais. Muitos possuem uma quantidade de livros tão grande que jamais conseguirão pintar todos, possuem muito, mais muito mais materiais do que precisam e estão sempre comprando mais.

O vício ou mania de consumir é algo que vem contagiando a todos nós, é preciso se controlar, resistir a tentação de comprar, principalmente ao ver lançamentos de novos produtos.

COMO COMEÇAR

Escolha um livro com desenhos que você ache bonito ou temática que você gosta, existem inúmeras como: animais selvagens ou domésticos, flores, flores e plantas, mandalas, figuras psicodélicas, arquitetura e decoração, moda, etc, etc.

Eu recomendo começar a colorir com canetinhas, porque é mais fácil, mais rápido, não exige técnicas e o resultado é um colorido com cores vivas, para isso escolha desenhos de tamanho médio, sem detalhes muito pequenos.

Depois que já tiver pegado gosto por transformar um desenho em preto e branco em uma pintura, passe para o lápis de cor. Em princípio, não se preocupe com técnicas, isso se aprende depois, o mais importante é relaxar e assumir a missão de colorir todos os espaços em branco e dar vida a ilustração escolhida.

LIVROS RECOMENDADOS

Os melhores livros na minha opinião são:

1 – O Jardim Secreto e Oceano Perdido da Editora Sextante (os dois da Johanna Basford), dispensa comentários, só a capa já deixará você com vontade de pintar.

2 – as revistas da Editora Alto Astral, em especial “Animais Encantados” , porque além de serem baratas (9,90) se encontra em bancas de jornais e possuem desenhos bonitos e pouco “complicados” que são excelentes para quem está começando.

3 – “Gatos: O Livro de Colorir”  da Editora Galera do Rio de Janeiro, conhecido por ser um dos livros publicados no Brasil com o melhor papel (dos livros que eu tenho e que já vi até hoje ele é sem dúvida o do melhor papel, só comparado aos livros importados).

4 – “O Incrível Livro de Postais para Colorir” da editora Benvirá, um dos livros bons mais baratos, pequenino, tamanho de bolso, desenhos lindos, para todos os gostos, folhas destacáveis (porque cada folha é um cartão postal)  de um papel maravilhoso excelente para pintar tanto com canetinha quanto com lápis de cor e o melhor de tudo , você pode presentear pessoas queridas.

LIVROS NÃO RECOMENDADOS:

Existem livros que eu não gostei e apesar de ter visto muita gente ter transformado algumas ilustrações deles em obras de arte belíssimas, eu ainda assim não gosto.

“Reino Animal” de Millie Marota: livro super famoso, quase tanto quanto o Jardim Secreto. Na minha humilde opinião os desenhos são feios. Quem possui as técnicas de pintura e bons materiais consegue fazer os desenhos desse livro ficarem lindos, mas não muda o fato que possuem linhas estranhas. Esse eu não quis comprar, mesmo encontrando-o a venda em promoções com preço muito bom e adorando animais, o outro, “Paraíso Tropical” da mesma autora também não me atrai. Se gostar, compre a edição com tamanho de livro de bolso.

“Floresta Encantada” de Johanna Basford: apesar de amar os outros dois livros da Johanna, não consigo gostar desse “irmão do meio” de Jardim Secreto e Oceano Perdido, a impressão que eu tenho é que Johanna criou seu segundo livro pressionada pela editora para lançar um livro ainda no auge do sucesso extraordinário de Jardim Secreto, sendo assim, ela não estava muito inspirada na criação das ilustrações desse livro. Se comparar ele com o Jardim Secreto e com Oceano Perdido, verá que ele não tem ilustrações tão bonitas como as dos outros. Para quem gosta de histórias medievais à la Rei Arthur, Senhor dos Anéis, O Hobbit, etc…é um prato cheio

“Animais Silvestres” : possui alguns desenhos bonitos, mas a maior parte parece serem fotos passadas em um filtro que deu a elas o contorno de gravura (tipo aqueles filtros no editor de fotos do celular) e outros parecem xerox de fotos. Um livro recomendado para aqueles que entendem bastante de técnicas de pintura, que já pintaram em tela e que sabem desenhar.

Todos da Editora Escala : vendem tanto em bancas de jornais quanto na internet, possuem um preço bem salgado (na faixa de 39,90), os desenhos até que são bonitos e acompanham informações sobre técnicas de colorir (o que me levou a comprar), mas o papel é horrível, alguns vem com dois tipo de papel diferente, um branco grosseiro e o outro escuro, cheio de relevo e super fino que se rasga à toa.

MATERIAIS

Os melhores lápis de cor são: MAPED, STAEDLER AQUARELÁVEL e FABER CASTELL AQUARELÁVEL.

Canetinhas: COMPACTOR , FABER CASTELL e STABILO (essa é uma canetinha de ponta fina muuuuuito cara, mas excelente).

Os lápis de cor aquareláveis da Faber Castell são maravilhosos, só que no último ano a empresa colocou no mercado, caixas de lápis que vieram com lápises defeituosos, com uns pontos brancos na mina que parecem areia e arranham o papel estragando a pinturas. Muitas pessoas compraram esses lápises e publicaram reclamações na internet e também os problemas que tiveram ao fazerem suas queixas ao Sac da empresa e não terem seu problema plenamente resolvido. Eu ainda estou esperando que a Faber me envie uma caixa nova. A empresa informa estar reformulando o produto. Se decidir comprar abra a caixa e observe cada lápis, um por um, se ver pontinhos brancos nas pontas (na mina colorida), NÃO COMPRE.

Não esqueça de comprar um bom apontador (faber Castell ou Maped) , um lápis borracha ou uma caneta borracha das mais finas (para apagar os rabiscos que escaparem do contorno do desenho) e uma caneta para pintar tecido negra, para pintar os fundos negros que dão tanto destaque a alguns desenhos e que verá muitos nos coloridos bonitos publicados na internet.

COLORINDO A VIDA

Descanse sua vista cansada, sua mente estressada, relaxe e ao mesmo tempo exercite a mente, vá colorir!

Eu não botava fé nenhuma no começo e hoje colho os frutos e desfruto dos louros que essa atividade trouxe para a minha vida: o relaxamento e o exercício mental me fez analisar situações com mais calma, descobrir uma serenidade interior antes desconhecida e assim ter um olhar mais positivo diante dos acontecimentos, descobrir soluções simples para problemas que pareciam praticamente insolúveis e assim vi ressurgir o otimismo, o ânimo e a alegria.

Espero que o mesmo possa acontecer com você! Me despeço deixando alguns dos meus coloridos.

 

 

 

 

 

 

 

 

Sempre Ao Seu Lado versão Caipira

 

 

Vocês que assistiram e se emocionaram, assim como eu, com o filme “Sempre ao seu lado”, conheçam agora uma história parecida que aconteceu aqui em São José dos Campos – SP!

12043126_1246063455419645_9094091783245884574_n

A história do cachorro Akita, Hachikō, que emociona o mundo desde 1925 também encontra paralelos em várias outras partes do planeta e aqui no Brasil. Este ano teve uma marca especial no cemitério central e o mais antigo de São José dos Campos (SP). Há 100 anos exatos uma jovem morreria de tuberculose e seu cãozinho ficou sobre a sepultura até também morrer, de tristeza e saudades.

O fato foi tão marcante na época, que passou gerações e permanece ainda hoje como uma das principais histórias do lugar. A derradeira demonstração de amor e fidelidade que tem sobrevivido ao tempo e, inclusive, ao abandono e esquecimento.

O jazigo simples, com a estátua de um cachorro sobre ele, ficou abandonado durante décadas. Ali se guarda uma bela e comovente história de amor e fidelidade, envolvendo uma jovem doente, seu cão, o esquecimento dos familiares e uma senhora que há 40 anos cuida do túmulo.

A sepultura tem em sua arquitetura a estátua de um cachorro, localizada logo a frente, sobre a laje onde se vê o nome de Oscarina Cruz Guimarães, nascida em 16/08/1893 e falecida em 13/08/1915, a poucos dias de completar 22 anos de idade, provavelmente tuberculosa em algum dos sanatórios da cidade ou mesmo em sua casa, devido a uma crise respiratória.

A trajetória da moça e seu cachorro está se perdendo com o passar dos anos. Mas sabe-se que Oscarina era pianista e quando tocava, seu companheiro ficava deitado no chão da sala e nos momentos de repouso forçado por conta da doença, ele se abrigava sob a cama. Os dois eram vistos com frequência caminhando juntos pela cidade, naquela época muito pequena e tímida.

Com o passar dos anos, o túmulo deixou de ser visitado e foi adotado por Dulce Carmem da Silva, moradora do bairro Santana, que passou a cuidar do local e a se inteirar da história da jovem e de seu cão. E manter viva a história da moça e seu amigo fiel.

A família de Oscarina seria originária de Vitória (ES). Viveram no Vale do Paraíba na esperança da recuperação da jovem, quando ela morreu partiram para sempre. Hoje não há indicação de familiar ou pessoa responsável pelo jazigo 5089. Dulce, então, passou a cuidar do local no começo dos anos 80.

A sepultura estava abandonada, mas chamava atenção pelo fato de ter a figura do cachorrinho em mármore branco, sentado, como se esperasse e ao mesmo tempo guardasse o lugar. O que intrigava os mais atentos que visitavam o cemitério.

E assim Dulce tomou conhecimento de maiores detalhes da trajetória de ambos por meio de informações de moradores antigos da cidade. Eram poucas as informações, mas o suficiente para identificar ali uma grande amizade, carregada por tons dramáticos e singelos.

“Essa moça teria se tratado na cidade na época sanatorial e tinha um cachorro que sempre a acompanhava. Quando ela faleceu, o cachorro não quis sair de seu túmulo, aonde também veio a falecer. A mãe dela teria, então, mando fazer a estátua do cachorro em cima do jazigo”, conta Dulce, que se tornou a zeladora voluntária do túmulo. O cãozinho está também sepultado no local, logo abaixo de sua estátua, numa caixa especial feita para abriga-lo e assim permanecer perto de sua tutora.

Nestas quatro décadas, ela nunca teria visto qualquer familiar visitando o jazigo da jovem. Uma triste contraposição ao sentimento do cachorrinho, hoje também esquecido na memória da cidade, pois sequer sabem como sua tutora o chamava.

Foi pelo amor aos animais que Dulce passou a se interessar pela arquitetura do túmulo e pela história que a cercava. Essa empregada doméstica, hoje aposentada, estava muito triste com o envenenamento de seu cachorro, que agonizava em sua casa. Ela entrou no cemitério na busca por aplacar sua dor, quando encontrou o túmulo com a estátua.

Ao se deparar com o abandono do túmulo, simbolicamente diferenciado pela presença da escultura, sentiu que se seu companheiro viesse a falecer passaria a tratar do ‘outro’ cachorrinho, o que havia falecido ali, no cemitério, sobre o túmulo de sua protetora.

“Quando vi o túmulo com a estátua do cachorro, que estava feio e sujo, resolvi cuidar do lugar. Isso foi na década de 80 e continuo até hoje”, relembra emocionada.
Texto: Julio Ottoboni.