LEÃO ARIEL

Morreu, graças a Deus,  morreu o Leão Ariel.

Depois de cair doente com uma doença degenerativa que tirou-lhe os movimentos das pernas e ser cruelmente explorado por sua “mãe” Raquel junto a um programa de televisão, sofrer absurdos procedimentos médicos ineficazes que só serviam para prolongar o seu sofrimento e trazer audiência para a televisão e dinheiro para sua mãe… ele finalmente “descançou”.

Pobre animal, sua “mãe” dizia que com os olhos ele pedia: “me tratem, eu quero viver, quero andar”, quando na verdade o que ele nitidamente dizia era: “Deixem-me em paz! Quero descançar! Párem de me fazer sofrer!”.

Se houvesse amor pelo animal e não o amor egoísta do ser humano, ele deveria ter sido sacrificado logo que as pernas traseiras perderam os movimentos. O que foi feito com ele foi de uma crueldade sem tamanho! Mas ele se foi e é nessas horas que a gente acredita que Deus deve mesmo existir.

 ONGS exploram animais doentes publicando suas imagens na internet e em outros meios com o único intuito de arrecadar dinheiro. Não me admirará se qualquer dia desses alguma rede de televisão fechar sua programação por um dia com um “TELETON” animal: 24 horas bombardeando o telespectador com imagens de animais com os mais terríveis tipos de mazelas e deformidades arrecadando milhões pelo telefone enriquecendo às custas de pobres criaturas que mereciam a caridade do sacrifício.

Um felino, não merece viver atrelado a uma gambiarra com rodas para se locomover, um ser humano merece porque ele pode decidir isso por si próprio. Um animal não pintará um quadro com um pincel na boca e nem criará fórmulas astrofísicas com o piscar dos olhos.

Se um felino não puder, correr, escalar, caçar (mesmo que ludicamente) conviver com outros de sua espécie, se reproduzir…que sentido terá a sua vida?

Coloque-se no lugar do animal: Você é esterelizado, por causa disso você fica com medo de sair de casa e se torna obeso, a obesidade lhe traz inúmeros problemas de saúde, e a sua única função no mundo, a razão da sua existência é ser um pertence para um animal de outra espécie que julga-se superior a você e que o obriga a viver prisioneiro impedindo-o de conhecer e se relacionar com outras criaturas da sua espécie que você mesmo escolhesse. Você gostaria disso? Viver broxado, estéril, gordo, prisioneiro e solitário (ou obrigado a conviver com outros prisioneiros tão infelizes quanto você)? Responda sinceramente você gostaria dessa vida, seria feliz vivendo uma vida como essa?

Uma conhecida que cria uma gata castrada em um apartamento disse que uma veterinária orientou a respeito da felina insistir em ir para a janela o seguinte: “Não pode deixar porque ela não tem noção da distância da janela até o chão”. QUE ABSURDO! SE UM GATO, UM FELINO, NÃO TEM NOÇÃO DE ALTURA, DE DISTÂNCIA, QUEM É QUE TEM? GATOS TEM ESSA NOÇÃO INSTINTIVAMENTE! SE FOSSE UM CÃO, VÁ LÁ, MAS UM GATO? O ABSURDO DO ABSURDO!

Alguém vai dizer: “mas muitos gatinhos caem de janelas de prédios todos os dias e morrem…”, é eu sei e sei também que muitos gatos viralatas quando ficam doentes se deitam propositalmente no meio de uma rua, por mais que a pessoas os enchotem dali, eles sempre voltam e esperam pacientemente até que um carro passe por cima. Alguns fogem de casa quando estão doentes ou se escondem em locais inacessíveis fugindo de seus carinhosos donos que querem cuidar, tratar de suas enfermidades. Por que eles fazem isso? Não seria isso a maneira deles de dizer: “Me deixem em paz, quero descançar! Sei que esperando aqui o descanço virá!”

Conheço gente que ajuda a divulgar as imagens de animais doentes que as ONGs divulgam, que contribuem com generosas somas em dinheiro, mas que não cuidam dos seus próprios animais de maneira adequada. Não levam seus cães para passear, não deixam os gatos darem uma voltinha pelo jardim do condomínio, mantêm os pobres animais constantemente confinados. Abarrotam os coitados com  ração achando que estão dando alimentação balanceada, mesmo sabendo que nenhum alimento industrializado é saudável, nem para nós nem para animal nenhum.

Se você acha que ama os animais prove isso assim:

1 – não  coma animais

2- trate-os como você gostaria de ser tratado se estivesse no lugar dele

3- se mora em apartamento (ou uma  via muito movimentada) não crie gatos, um felino precisa de espaço e total liberdade.

“AMA AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO”  “o próximo”  é também o indivíduo de outra espécie animal. Não precisa ser cristão para seguir isso (sei muito bem que os pagãos e os ateus são os que mais pregam amar os animas).

Os comentários estão fechados.