FIDELIDADE

 

Tomai cuidado,meu senhor, com o ciúme;

é o monstro de olhos verdes, que despreza

a mesma carne que o alimenta.

Feliz o cornudo que,

ciente de seu destino, não ama

a quem o engana;

mas desgraçados são os minutos

do que ama cegamente,

ainda que duvidando, e suspeita,

ainda que louco de paixão!”

IAGO – OTELO ATO III CENA III

 

A sociedade nos impõe a fidelidade, nos obriga a sermos fiéis ao parceiro amoroso, à uma religião, a um time de futebol e até à uma marca de sabão em pó.

E é justamente essa pressão que faz com que surjam cada vez mais traidores e adúlteros; assim como a imposição de que “somos todos iguais” gera todas as formas de separatismo (racismo, xenofobia, misoginia, homofobia, etc…).

Nunca foi tão fácil trair, a tecnologia ajuda muito: os celulares com sms, a internet… Na rede pode-se encontrar até sites especializados em atender ao público adúltero (OHHTEL).

O cúmulo da exigência por fidelidade é: o(a) adúltero(a) exigir exclusividade e fidelidade absoluta da(o) amante. Um pode ter dois, o outro só pode ter um…um absurdo! E o pior é que tem gente que se submete a isso.

“Você perdoaria uma traição?”- Uma pergunta feita frequentemente para a qual os homens sempre dizem não, sempre se recusam a admitir que perdoariam e estima-se que eles sejam os que mais perdoam.

Aquele que perdoa o traidor tem o poder nas mãos. Se houve perdão é porque o traidor o implorou, então supostamente se arrependeu ou se rebaixou, enfim, se colocou nas mãos do “traído”.

Há sempre aquela ameaça: “Eu perdoei, mas se acontecer de novo…”

Os homens adoram essa ameaça, adoram saber que suas esposas sentem ciúmes deles mesmo sabendo que eles não merecem; a ameaça os deixa ainda mais ansiosos para traírem de novo. A sensação de estar no limiar de perder metade de seus bens, torna a coisa muito mais excitante principalmente para os mãos de vaca.

Já para as mulheres, essa ameaça pode significar ter que vir a apelar para a Lei Maria da Penha, ou pior, ficar sozinha. Sim, porque o homem traidor costuma ser atraente, ganha fama de “pegador”, agora a mulher se torna a “puta”, vagabunda, etc.

Agora se tem uma coisa que faz um caso extraconjugal perder totalmente a graça é o traidor ser despachado pelo cônjuge. Se a esposa ou marido (namorada ou namorado) dispensou o traidor é porque o sujeito(a) não valia muita coisa, talvez tenha sido supervalorizado por ser tão remota a possibilidade de o relacionamento com o cônjuge acabar…infelizmente é o que acaba passando pela cabeça do amante.

E mais, quando o amante se torna o oficial, isso significa que dali em diante ele passará a ser o “traído”; porque quem trai uma vez, trairá outras vezes.

Geralmente o perfil do traidor é o de alguém que gosta de aventura, de novidade e necessita de autoafirmação , ou seja, precisa estar sempre provando pra si mesmo que ainda é capaz de seduzir alguém, de fazer uma nova conquista, de que ainda é atraente.

Há quem diga que traição é coisa pra homem que gosta de esbanjar dinheiro, ledo engano. Os mãos de vaca costumam se dar muito bem, nunca pagam motel, nem hotel, se resolvem no carro ou arrumam uma amante que os recebe em casa. Mas os mão-aberta são a maioria, segundo estatísticas 58% se encontram em motel ou hotel e 15% nos carros e casa do amante.

E os homens ainda são a maioria no time dos traidores: pesquisas indicam que são 66% contra 34% de mulheres. A idade média dos traidores casados é 40 anos para os homens e 34 anos para as mulheres.

A mentiras mais contadas no mundo dos traidores são: “Faz tempo que eu e minha mulher não fazemos sexo.”; “Minha mulher não me satisfaz, não gosta muito de sexo, acho que deve ter algum problema.” e no caso das mulheres “Meu marido não me dá atenção, só pensa no trabalho dele.”; “Meu marido me trata igual a um cachorro, briga comigo todo dia.”; “Ele está, com um grave problema de saúde, então não consegue mais fazer…acho que está impotente.”

A verdade, na maioria absoluta das vezes é totalmente o contrário: a vida sexual com o cônjuge é muito boa, até porque todo safado que se preze, não se aproxima de gente sem-sal, muito menos pra casar.

Existem outros motivos que levam uma pessoa a se tornar um traidor além da necessidade de autoafirmação. Um deles é a “precisão”, isto é, quando a pessoa precisa de algo que não pode comprar, que não consegue pagar ou que não se compra (por ex. influência, QI -quem indica, etc) e não tem outra alternativa senão apelar para os meios escusos.

Nesses casos o traidor ou mesmo o amante, se sente por cima da carne seca porque termina sempre acreditando que a pessoa além de “precisar” dele(a) ainda gosta dele(a), porque é difícil para a criatura vaidosa aceitar que a coisa toda seja somente por interesse, afinal ele(a) tem uma pessoa que o ama tanto a ponto de perdoar suas safadezas, por que a(o) outra(o) não o(a) amaria também? Quando a criatura cai na real que o lance foi só por interesse leva uma decepção, um tombo, daqueles! Mas então, levanta, sacode a poeira e parte pra outra conquista.

Mas, por mais incrível que pareça, existem casos de traição por amor. Sim, existem pessoas comprometidas que simplesmente, inesperadamente e incontrolavelmente se apaixonam por um outro alguém. Então, o caso começa porque não se consegue evitar, depois continua por falta de coragem de terminar um relacionamento consistente para se entregar a vontade do coração e também porque a sociedade e a família vão fazer um inferno. Muitas vezes o amor vence e a história tem um final feliz com traidor e amante formando um novo casal ou uma nova família. Uma coisa muito bonita.

Mas algumas vezes acontece um final trágico, logo depois do final feliz ; quando um dos traídos resolve se vingar e assassinar um dos “pombinhos” ou mesmo o casal. O que não deixa de ser uma coisa bonita também, afinal, histórias de amor com final trágico, também são emocionantes; mas é claro que ninguém deseja uma história assim, pra alguém.

Sem sombra de dúvidas existem muito mais vantagens e benefícios em ser fiel.

Os comentários estão fechados.