O ARTISTA

Assisti o filme ganhador do Oscar, O ARTISTA (França/Bélgica 2011 dir: Michael Hazanavicius) no Domingo dia 20 no Sesc São José dos Campos, a última atração da Virada Cultural.

Esplêndido! Estupendo! Soberbo! Magnífico!…somente com o palavriado das antigas para definir a maravilha que é esse filme!

Chorei em vários momentos, tudo é muito emocionante; o drama do personagem George Valentim, sua luta para continuar sendo o que sempre foi, a dor do fracasso, a tristeza do ostracismo… Também o drama de Peppy Miller que entra no mundo do cinema mais para ficar perto de seu idolo e grande amor do que pelo sonho de ser estrela e ironicamente o sucesso termina afastando-a dele; todos os percalços que ela teve que enfrentar para ficar ao lado de seu amado… Ah! Nada como uma história de amor complicada!

O roteiro é primoroso, bem a moda antiga mesmo (cheio de altos e baixos como uma montanha russa) o filme nos prende do princípio até o fim, não dá para tirar os olhos da tela nem por instante. Cada “plot point”, faz com que a gente fique mais envolvido e ansioso.

Tem a mistura perfeita de filme de arte, “arrasa quarteirão” e filme antigo.

O poder extraordinário de uma boa história, bem contada, é o que nos ensina esse filme. Europeu, mudo e em preto e branco…características suficientes para fazer qualquer um da era internética adormecer, mas o poder da história vence tudo isso, a gente assiste e só pensa na história, entra dentro dela e se emociona.

Os atores são excelentes e todos tiveram excelente atuação.O protagonista Jean Dujardin, além de tudo é lindo e como eu disse em outro post, faz com que acreditemos que Deus fez mesmo o homem a sua imagem e semelhança, não todos é claro, apenas alguns.

Houve quem questionasse porque “o artista” e não “ o ator”. Eu acho que sei a resposta: ator, cantor, pianista, pintor, bailarino…etc, no caso de algumas pessoas são denominações muito limitadas. O personagem do filme não é simplesmente um ator, ele tem mais do que o talento e a técnica, ele tem a arte em suas entranhas; a única denominação possível é “artista”. Artista é aquele que só vive por causa da arte e não aquele que trabalha com arte, que sabe ganhar dinheiro com arte, que transformou arte em trabalho, em ganha pão, em negócio. Quando alguém que vive por causa da arte, ou seja, não consegue viver sem ela; por alguma razão, se vê impedido de fazer arte, a vida para essa pessoa perde totalmente o sentido, porque a arte é a vida pra ela. Aquele que trabalha com arte quando se vê numa situaçao dessa muda de ramo e pronto, tudo resolvido.

Foi a primeira vez em minha vida em que assisti a um filme no qual eu não consegui achar um defeito, ou seja nada que eu não tenha gostado.

Quando o filme terminou o público aplaudiu, foi lindo! Uma matinê de sonho!

Deixo aqui os meus agradecimentos – falando em nome de todos aqueles que aplaudiram e se emocionaram – ao SESC, a Secretaria de Estado da Cultura e a organização da Virada Cultural Paulista 2012 por nos ter presenteado com a exibição desse filme maravilhoso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s