Anorexia

Anorexia não é apenas um distúrbio alimentar, existem outros tipos de anorexia. Sabiam que existe anorexia social, amorosa e sexual? Encontrei informações sobre isso no site de uma irmandade que presta ajuda para pessoas com problemas com relacionamentos e resolvi compatilhar as mesmas aqui, porque não costumam ser difundidas na mídia e nem mesmo pelos profissionais de saúde.  Segue o texto com as informações:

O que é Anorexia?

Como desordem alimentar, a anorexia é definida como rejeição compulsiva da comida. Na área de amor e sexo, anorexia tem uma definição similar: é a rejeição compulsiva de dar e receber nutrição social, sexual e emocional.

Algumas formas de Anorexia.

Alguns de nós podem não ter feito sexo ou estado num relacionamento íntimo há anos. Ou podemos estar num relacionamento e ter dificuldade de estar próximo emocionalmente. Ou ser aqueles que raramente falam nas reuniões e desaparecem no instante em que a reunião termina. Ou podemos ser aqueles que, fora das reuniões, são muito sociáveis. Ou ainda do tipo que não tem amigos íntimos. Podemos conhecer muitas pessoas mas nenhuma que seja realmente próxima. Ou ter relacionamentos íntimos apenas com certas pessoas, nossos filhos pôr exemplo, mas manter distância de todas as outras pessoas. Existem muitas outras formas de anorexia. Mas independente do nosso tipo particular, de alguma forma marcante, nos mantivemos longe de experimentar o amor.

Como anoréxicos ou pessoas com tendências anoréxicas, podemos ter uma ampla variedade de sentimentos e reações. Alguns de nós, se sentem sobrecarregados, asfixiados, em atividades sociais. Alguns de nós se sentem incapacitados pela timidez. Outros estão em relacionamento com um grande número de pessoas para se manterem longe da intimidade com qualquer pessoa individualmente. Outros são passionais apenas numa área: podemos ser dedicados emocionalmente, pôr exemplo, mas nos manter sexual ou socialmente inacessíveis.

Assim como nossos sentimentos podem variar muito, da mesma forma acontece com nossos padrões de comportamento. Para alguns de nós, anorexia pode significar um medo paralisante de dar telefonemas. Alguns de nós se saem bem em situações particulares como o local de trabalho,onde normalmente a intimidade não é valorizada, mas nos vemos distantes com a família ou amigos. Outros de nós usaram álcool ou drogas para se tornarem retraídos emocionalmente. Ou usamos essas substâncias para       ficarmos audaciosos sexual, emocional ou socialmente, enquanto no fundo evitávamos o contato significativo com os outros. Dessa forma, usamos outras dependências para praticar nossa anorexia.

A anorexia pode ser difícil de reconhecer

A anorexia é uma forma de dependência de amor e sexo, mas freqüentemente é difícil de detectar. Outras formas da dependência podem       mascarar a anorexia. Na verdade, ela pode estar tão camuflada que a pessoa sequer percebe que está presente. A promiscuidade sexual, por exemplo, pode no fundo esconder uma fuga de intimidade. A codependência, mesmo tendo uma “aparência” de relacionamento, pode na verdade, esconder uma resistência para relacionar-se de fato. Em geral, quando  indivíduos param de praticar sua dependência mais óbvia, descobrem surpresos, que no fim das contas, a anorexia se esconde atrás de sua dependência. Existem é claro, anoréxicos que são conscientes das suas formas de anorexia. Mas há outros de nós que não tem senso do que falta em suas vidas em matéria de sexo, relacionamentos e comunhão social.  Muitos de nós sequer imaginam o que é possível ter. Alguns de nós, pôr exemplo, sabem que podem dar amor, mas não têm nenhuma idéia de que podem receber. Outros sabem apenas o que é responder às necessidades dos outros, mas não sabem quais suas podem ser próprias necessidades. Alguns de nós nunca conheceram a alegria de estar em sociedade, a intimidade honesta ou a reciprocidade emocional. Não temos noção dessas coisas. Confrontados com a idéia de satisfazer nossas próprias necessidades, ficamos confusos, pois não sabemos nem mesmo enumerá-las.

A anorexia não é apenas medo de intimidade. De alguma forma, todo ser humano tem medo de intimidade, pois a timidez, a modéstia e o senso de privacidade são características humanas naturais. Mas nós anoréxicos fizemos do medo da intimidade uma atitude constante, operante automaticamente. E a anorexia pode ocorrer de forma silenciosa, completamente camuflada.

Do mesmo modo que existem formas óbvias de se praticar a anorexia, também existem formas discretas, sutis. Alguns anoréxicos podem não ser dependentes de nenhuma outra forma. Contudo, abaixo da superfície, a anorexia é uma dependência ativa: consiste em não fazer algo, não fazê-lo e não fazê-lo. Não acreditar, não se comprometer, não se entregar, Dessa forma, ao contrário de quando se toma uma bebida ou se usa droga, os sintomas de anorexia são obscuros, não ativos. Assim os anoréxicos não agem para fora, agem para dentro, se recusando a agir. Afinal a anorexia se mantém pela trabalhosa recusa de se permitir o movimento. Externamente o anoréxico pode parecer completamente tranquilo, internamente pode se sentir tranquilo também. E assim o padrão de anorexia pode ficar invisível. Dessa forma a não-consciência da mesma pode tornar ainda mais difícil seu reconhecimento.

A anorexia é uma grande enganadora. Ela pode parecer com timidez, modéstia ou reserva naturais. Mesmo escondida atrás de extroversão ou charme, ela freqüentemente persiste. Ela pode até mesmo dar uma impressão de pureza espiritual. A anorexia pode ficar insuspeita pôr anos, esteja aparente ou não.

Um dia, contudo, nós anoréxicos começamos a perceber que temos vivido pôr um longo tempo sem amor. Observamos a ausência de proximidade em certas áreas de nossas vidas; e também que estamos engajados numa atitude de grande medo dos outros, e uma estratégia de mantê-los à  distância. Independente da nossa anorexia ser social, sexual ou emocional, acordamos para o fato de que não estamos experimentando o dar e receber do amor, que é tão precioso para a vida humana.

Ao nos tornarmos conscientes dessa falta de amor em nossas vidas, podemos ter tentado mudar nossa conduta. Se descobrimos que não podemos mudá-la, podemos chegar à conclusão de que somos dependentes disso: era uma conduta na qual nos envolvíamos repetidamente e que não podíamos parar apesar das suas conseqüências.

  1. Você passa  longos períodos sem se envolver num relacionamento amoroso ou sexual?
  2. Você passa  longos períodos sem atividades sociais?
  3. Apesar de estar em um relacionamento você percebe que, pôr um longo tempo, não experimentou romance, sexualidade, intimidade ou amizade?
  4. Você fica sozinho mais do que gostaria, mas se sente incapaz de mudar isso?
  5. No trabalho você tem dificuldades para desenvolver relacionamentos, conversa só quando é absolutamente necessário ou se esconde através do trabalho?
  6. Você evita relacionamentos com o sexo oposto ou com seu próprio sexo?
  7. Você fica deslocado em grupos?
  8. Você tem medo de ser notado?
  9. Estar na presença dos outros o deixa exausto, mesmo quando você gosta deles?
  10. Você geralmente entra em pânico ou afasta as pessoas quando elas começam a ficar muito próximas?
  11. Você costuma tentar se esquivar ou controlar completamente emoções, sensações sexuais ou situações de grupo?
  12. Você se sente desconfortável quando lhe oferecem carinho, afeição ou amor?
  13. Você costuma ter medo de encontrar alguém que lhe atrai?
  14. Você se sente mais seguro quando um relacionamento fica no nível do flerte ou sedução?
  15. Você sente um profundo pessimismo em relação à sua habilidade de ter um relacionamento íntimo duradouro?
  16. Você se vê continuamente atraído pôr pessoas que não satisfazem as suas necessidades?
  17. Você tem medo de relaxar perto das pessoas pôr que tem medo que isso leve à uma situação sexual?
  18. Você fantasia sobre ter um relacionamento sem na verdade persegui-lo?
  19. Seus hábitos sexuais, pôr exemplo, a masturbação, o mantém afastado dos relacionamentos?
  20. Anedonia significa a recusa de dar e receber prazer. Você pratica isso?
  21. Você normalmente ignora suas necessidades físicas e emocionais em favor dos outros?
  22. Você passa pôr momentos difíceis ao se divertir e relaxar com outras pessoas?
  23. Você tem dificuldades para estabelecer limites saudáveis a ponto de se afastar completamente dos outros?
  24. Tudo tem que estar perfeito antes que você se envolva?
  25. Você inveja pessoas mais expansivas?
  26. Você sente que seu jeito de ser não é autêntico?
  27. A vergonha de sua vida faz com que você evite relacionamentos?
  28. Você usa seus sentimentos de inferioridade ou superioridade para se manter distante dos outros?
  29. Você acha que nenhuma pessoa (ou grupo de pessoas) atraente, saudável, iria querer alguém como você?
  30. É difícil para você mostrar às pessoas que você gosta delas?
  31. Você acha que não é “suficiente”, inteligente o suficiente, atraente o suficiente, velho ou novo o suficiente, bem sucedido ou saudável o suficiente, ou … o suficiente para merecer um relacionamento?
  32. Você fica em relacionamentos porque sente que não merece nada melhor ou não pode ter  nada diferente?
  33. Você acha extremamente difícil expressar emoções ou contar a verdade a alguém com quem você gostaria de estar envolvido?
  34. Você afasta as pessoas com frieza, agressividade ou timidez?
  35. Você prefere ficar sozinho a questionar as opções que o mantém sozinho?
  36. O seu medo de rejeição ou de parecer ingênuo é tão grande que você parece estar paralisado?
  37. Você desconfia que sua capacidade para ir de encontro à intimidade com outra pessoa está prejudicada ou não existe?
  38. Você tem um medo imenso de ser usado ou explorado nos níveis social, sexual ou emocional?
  39. Você costuma ter ressentimento ou inveja de pessoas que tem relacionamentos íntimos ou  vidas sociais intensas?
  40. Você acha o sexo repugnante?
  41. Você acha que sexo é só para pessoas saudáveis e portanto nunca será para você?
  42. Você é mais aberto com pessoas com quem não pode se envolver sexualmente?
  43. Quando você de fato sai com alguém, tem um limite de tempo preestabelecido para ficar com a pessoa?
  44. Você está preso à sua família de origem, de forma a se afastar de outras pessoas?
  45. Você é atraído principalmente pôr pessoas inacessíveis?
  46. Você acha que não é compensador se envolver com os outros (pôr causa de experiências passadas, que foram ameaçadoras ou dolorosas), especialmente se essas pessoas querem chegar muito perto de você?
  47. Você se sente mais confortável ou mais no controle quando recusa convites sexuais ou amorosos?
  48. Você normalmente é mais aberto com estranhos do que com aqueles que são mais próximos a você?
  49. Você se sente tão diferente dos outros, que tem medo que ninguém se importe com você ou lhe entenda?
  50. Você sente  falta de amor na sua vida, e ainda assim não sabe o que fazer a respeito?

O que fazer agora ?

Se um número suficiente de perguntas parece se aplicar a você, você pode estar aliviado, ou pode estar atordoado, ou com raiva nesse momento e todas essas reações são naturais. Contudo, se você se sentiu profundamente tocado pôr essas perguntas, saiba que: você não está sozinho. Existem muitos na mesma situação que você, muitos que reagem e sentem como você. Ou que uma vez se sentiram dessa forma. Procure ajuda.

fonte: http://www.slaa.org.br

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s