O QUE SE APRENDE COM AS PRINCESAS DISNEY

Existe um grupo no FACEBOOK que se chama “I BLAME DISNEY FOR MY HIGH EXPECTATION OF MAN” traduzindo literalmente: “Eu culpo a Disney por minha alta expectativa com os homens.”

Esse grupo tem mais 167 mil membros, mulheres que sofreram decepções amorosas cruéis por idealizarem demais, por buscarem “o homem certo”. Acham que a Disney tem culpa por causa dos desenhos baseados nos grandes clássicos da literatura infantil, os Contos de Fadas das princesas sofredoras que após serem salvas por seus príncipes viveram felizes para sempre.

Nos anos 80 a jornalista Colette Downling ganhou fama e prestígio internacional com seu Best Seller “Complexo de Cinderela” a primeira obra de sucesso que aborda a delicada questão de que a maioria absoluta das mulheres, inclusive as “supermulheres” independentes e emancipadas que estão no topo do topo do sucesso em suas profissões, esperam encontrar um homem que seja superior a elas e que cuide delas. Atualmente eu estou lendo esse livro.

As histórias são muito, mas muito mesmo, mais antigas que a Disney Pictures e mais antigas até mesmo que a literatura. A única coisa que a Disney pode ter feito de mal foi suavizar o final, o castigo das vilãs; mas isso a literatura já havia feito, desde a invenção da literatura infanto-juvenil.

Sinceramente, acho que existem muitos enganos, muitos erros na interpretação das mensagens passadas por essas histórias.

Respeito as garotas do grupo do Face, embora eu ache que príncipes são para princesas e tem muita Fada Madrinha, bruxa, madrasta má, prima feia…  achando que merecem príncipes.

Bem, agora vamos ao que as princesas e suas histórias realmente ensinam, pode ser negativo ou positivo dependendo da perspectiva de quem vê.

CINDERELA

O conto de Cinderela ensina que a mulher não deve viver somente para o seu trabalho, sendo uma gata borralheira; seja trabalhando para a família ou para os outros (trabalhando fora na vida real).

Em algum momento a mulher jovem tem que deixar de ser gata borralheira, se arrumar e sair para se divertir e quem sabe, conhecer e conquistar um homem legal.

Se for pobre e não tiver grana para comprar boa roupa e sapatos para ir num lugar bacana, recorra a uma “Fada Madrinha”, ou seja, uma amiga, que empreste a roupa por pelo menos uma noite. Se não tiver como ir até o local, faça de uma abóbora carruagem, ou seja, troque algo que você tem por uma passagem de ônibus ou táxi ou ainda uma carona.

Chegando no baile – que pode ser uma balada, uma festa de casamento, formatura, aniversário, da igreja, do bairro, junina,etc… – não tenha vergonha de paquerar o “príncipe” do lugar, ou seja, o homem mais cobiçado.

Se o cara simpatizar contigo e rolar um clima, vá embora antes da meia noite, ou seja não vá amanhecer o dia ao lado do cara como uma desesperada que nunca viu homem na vida, assim vai deixar um “gostinho de quero mais”.

Esse gostinho é o sapatinho, se tiver rolado uma química o cara vai experimentar outros pés, grandes, pequenos demais, cheios de calos, tortos, com joanetes e mesmo assim não esquecerá do seu pézinho, ele vai te procurar e vai te achar, porque quem procura acha, sempre!

Isso tudo pode dar certo ou não, para Cinderela deu, afinal que graça teria contar uma história com final triste. Na vida real as mulheres precisam ir a muitos bailes e deixar vários sapatinhos até aparecer um cara legal.

RAPUNZEL

Se estiver sendo tolhida por alguém possessivo e ciumento que não lhe deixa sair para conhecer outras pessoas e se socializar, alguém que faz você se sentir aprisionada – pode ser um pai, mãe, irmão, namorado ou marido – não se desespere, enquanto há vida há esperança!

Dê um jeito de fazer alguém te notar, de chamar a atenção de alguém para te ajudar, nem que o único jeito seja não cortar mais o cabelo e deixá-lo passar de um metro de comprimento.

Essa é a mensagem de Rapunzel.

BELA

Às vezes um homem pode ser uma fera, um monstro porque está sob o efeito de um feitiço, uma maldição lançada por uma bruxa má.

A maldição na vida real geralmente se chama depressão, alcoolismo, dependência química, impotência, obesidade…etc. A bruxa geralmente é o pai, ou a mãe, ou uma ex-namorada, ex-esposa, amigo de infância…etc.

Por trás da fera pode existir um homem legal que pode te amar muito. Se ele for bom pra você, te pedir companhia e ajuda e você resolver ajudá-lo, pode ser que o feitiço seja removido (o cara pode se converter evangélico, se tornar um abstêmio geração saúde ou atleta…etc.); agora se ele te agredir e te roubar, deixe-o morrer sozinho.

A Bela reconheceu o outro lado da criatura e o ajudou a voltar a ser ser humano, com ela deu certo, a fera era um homem bom, se não der certo com você não culpe os Contos de Fada nem a Disney; LEVANTE, SACUDA A POEIRA E  DÊ A VOLTA POR CIMA!

a bela e a fera

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s