Tragédias

JOVENS QUE MORREM ACIDENTALMENTE

Uma sucessão de erros levou a morte de quase 300 jovens estudantes.

Fiscais corruptos e irresponsáveis que permitiram a abertura e o funcionamento de uma boate num prédio que não possuía condições estruturais para o funcionamento de um estabelecimento deste tipo.

Empresários espertos e gananciosos que ganhavam muito dinheiro excedendo muito alémdo máximo a capacidade de lotação do estabelecimento.

Um músico burro que lançou um fogo de artifício dentro de um lugar fechado e de encontro a um teto baixo e forrado com espuma.

Universidades, instituições de ensino que não instruem os jovens em como agir em situações de incêndio. Nos países desenvolvidos são passadas instruções de como agir em situações extremas incêndio, terremoto,etc, desde o jardim da infância. Pode parecer algo inútil diante da força do pânico, mas é algo que reduz sensivelmente o número de vítimas nesse tipo de tragédia.

Enfim, os mais espertos, os mais sóbrios, os que estavam na área VIP (que ficava mais perto da saída) conseguiram escapar.

Uma tragédia que me fez concluir que os seguintes velhos ditados estão certos: “SÓ OS FORTES SOBREVIVEM” e “O MUNDO É DOS MAIS ESPERTOS.”

VELHOS QUE SE MATAM

O suicídio entre homens idosos é mais comum do que se imagina. Bem que alguma revista ou jornal poderia ter aproveitado a morte do ator Walmor Chagas para abordar o assunto. Sim, porque existem até estatísticas sobre o “fenômeno”.

Homens sentem pavor de tornarem-se dependentes, por isso não gostam de ir ao médico – para não descobrirem doenças – e ficam arrasados quando adoecem.

A velhice traz doenças, principalmente para todos aqueles que curtiram a vida, ou seja, comeram (alimentícia e sexualmente) e beberam de tudo, enfim, que se divertiram mais do que o necessário.

Para os homens de antigamente, os homens com H maiúsculo, a diabetes e os problemas de próstata são as mazelas mais cruéis porque tiram deles o que muitos julgam ser o bem mais precioso: a potência sexual. Para estes tornar-se impotente é deixar de ser homem.

Tomar remédio para impotência pra um homem com H é humilhante, usar prótese então, um absurdo, como se fosse a mesma coisa de na falta de um braço usar aquelas próteses de antigamente parecidas com um membro de um boneco, manequim de loja, ou seja, algo que não tinha nenhuma serventia a não ser disfarçar a falta de algo e que todo mundo percebia que era algo falso. Para quem o ato de usar uma simples bengala pode ser tremendamente vexatório,uma ofensa à independência, imagina isso? É o fim! É assim que muitos homens com H pensam.

Impotentes e com a perspectiva futura de tornarem-se cada vez mais dependentes de remédios, médicos, familiares…etc. Muitos homens com H cometem suicídio antes de perderem completamente a independência. Geralmente é um ato premeditado e exaustivamente planejado, ou seja, extremamente consciente.

A tendência é que esse fenômeno termine se extinguindo, afinal, a partir dos anos 70 não nasceram mais homens com H.

“Sr Walmor Chagas, o senhor saiu de cena na hora certa, tanto na carreira quanto na vida. Bravo!”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s