Boa Sorte, um grande filme!

Assisti essa semana ao filme brasileiro Boa Sorte de Carolina Jabor, estrelado por Deborah Secco e Fernanda Montenegro. Fiquei impressionada, a qualidade do cinema brasileiro está se elevando cada vez mais, o filme é um primor! Fotografia excelente, grandes atuações e um roteiro bem amarrado.

Destaco a atuação do ator Pablo Sanábio, tão brilhante que chega a assustar. As atuações de Fernanda Montenegro e Cássia Kiss dispensam comentários, o trabalho dessas atrizes sempre beira a perfeição.

Momentos que merecem atenção:

#1 O idílio musical regado a um coquetel de remédios psicotrópicos onde os personagens João, Felipe e Judith vivem uma intensa “viagem” musical dançante, dá vontade de levantar da poltrona e dançar pelos corredores da clínica junto com eles.

#2 A animação das ilustrações do diário de Judith… emocionante, leva os mais sensíveis as lágrimas e lembrará aos que gostam de animação, àqueles desenhos antigos Japoneses que só contavam histórias tristes.

Deborah Secco co-produziu o filme, provavelmente os patrocinadores, apoiadores, investiram por conhecerem e confiarem em sua fama, em seu sex appeal…acho que nunca na história do cinema do nosso país a sensualidade rendeu dividendos para um fim tão bonito e de tanto valor

O que mais me agradou no filme é que ele passa a mensagem de que drogas não são uma boa escolha, pelo lado avesso e funciona! Também passa a mensagem de que a Aids está mais presente que nunca e que camisinha REALMENTE PROTEGE!

Não há mais o que dizer, além de aconselhar você que está lendo esse post, ir logo ao cinema mais próximo de você e assistir a esse filme!

A primorosa e contagiante cena da "viagem" musical
A primorosa e contagiante cena da “viagem” musical
os-atores-deborah-secco-e-joao-pedro-zappa-no-filme-boa-sorte-original
João, um rapaz realmente anormal: desprovido da inerente maldade humana.

 

Pablo, uma interpretação brilhante
Pablo, uma interpretação brilhante
João e Judith: um amor impossível, o animalzinho puro(o cão) e o ser humano sujo
João e Judith: um amor impossível, o animalzinho puro(o cão) e o ser humano sujo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s