Mariah Carey: a última Diva

mariah_carey_jazz_blues_2015_jamaica

 

Hoje, 27 de Março é aniversário da minha cantora predileta, a Mariah Carey.

Ela surgiu nos anos 90 a década das grandes divas da música pop que reinaram até o início dos anos 2000.

A era das mais belas baladas românticas e hinos de superação, as músicas eram o misto mais harmonioso entre o hino religioso (gospel) e as canções de amor com o máximo da tecnologia de edição, mixagem e engenharia de áudio, unindo o eletrônico com o acústico.

Withney Houston, Celine Dion…até mesmo Madonna lançou várias baladas românticas na época para também estar no Olimpo das Divas, não satisfeita em já ostentar o posto e a coroa de Rainha da Música Pop.

Christina Aguilera e Lara Fabian fizeram bonito e chegaram a tocar no Olimpo e Shania Twain deu um toque caipira.

Mariah e Withney foram as principais deusas desse Olimpo, o estilo delas é imitado até pela maioria das cantoras da música pop até hoje.

Por falar em hoje…a era das Divas acabou…e o negócio é ser sempre uma mistura de Diva + show woman, ou seja, Mariah/Withney na voz e Madonna no palco e no videoclip. Hoje temos uma que é uma verdadeira mutação genética das três, a Beyoncé.

Infelizmente Mariah, cedeu a pressão do mercado e deixou de ser Diva para também ser essa criatura híbrida, mutante que o pop comercializa. Se associou com rappers, fez músicas mais populares e adotou uma imagem exageradamente sensual.

A moça extremamente magra e elegante, sem lábios, de cabelos cacheados e rosto fino se transformou na mulher exuberante, de seios grandes, lábios carnudos, cabelo liso e loiro e rosto redondo.

Eu confesso que no começo achei a transformação física dela o máximo! Eu queria tanto ser magra, sem seios e de rosto fino como a minha estrela e de repente o meu ídolo decide ficar peituda, beiçuda e bochechuda como eu!

Mas a sensualidade foi ficando cada vez mais apelativa e apesar das músicas de divulgação dos álbuns terem um padrão de excelência técnico muito superiores, eram pobres de conteúdo. Em consideração aos seus fãs fiéis, os álbuns da nova fase sempre continham também algumas belas canções românticas.

Para mim e para muitos outros que a admiram, parece que ela seguiu o caminho errado até mesmo em sua vida amorosa. Tommy Mottola seu primeiro marido, foi pintado para nós, por Michael Jackson e por ela como um monstro controlador e até violento, mas enquanto eles estiveram sob o jugo desse possível algoz, suas carreiras foram brilhantes. Tommy até podia ser muito severo, mas gostava muito dela, ele fez com acontecer com ela o que acontece com o trigo “sai da lama para a mesa”. Em todas as situações só me pareceu a superproteção do “criador” um homem mais velho apaixonado pela sua jovem “criatura”.

Curioso é que Tommy é um excelente marido para a cantora Thalia. A mexicana que exibia uma imagem sensual e apelativa que chegava a ser cafona e beirava o ridículo, hoje é quase um exemplo de elegância e Mariah é que está beirando  o ridículo e cafona da sensualidade apelativa.Desculpem lambs, pelo o que vou dizer agora , mas os filhos de Mariah não são bonitos e os filhos de Thalia são lindos! Ela deveria ter continuado com Tommy não só pela carreira e pelo patrimônio como também pela descendência. E para piorar o casamento com o interesseiro Nick Canon não durou muito, mesmo com todos os esforços por parte dela, enquanto Tommy com Thalia seguem felizes.

O estado emocional de Mariah foi abalado,a oscilação no peso e as faltas em ensaios e atrasos em shows foram o reflexo disso. A coisa foi degringolando até isolarem o áudio dela no show de natal e jogarem na rede, quando o mundo todo viu que a rainha da voz está desafinando e então o destino foi parar no reino distante do deserto, o reino iluminado para onde se refugiam as estrelas para ganhar dinheiro em tempos difíceis, o reino encantado da lavagem de dinheiro onde os criminosos são os reis, o reino da jogatina, drogas e prostituição: Las Vegas.

Era para ser o fim, mas eis que surge uma esperança, sua volta para a Sony Music. Ela voltou, vai lançar uma reedição do #1s com algumas músicas de bônus.

Agora só nos resta esperar que ela reassuma o seu posto de Diva e como as outras desapareceram e Withney morreu, ela é agora A ÚLTIMA DIVA.

 

2 pensamentos sobre “Mariah Carey: a última Diva

  1. Acho interessante o que você disse e concordo que a era das divas acabou. Sobre os novos seres híbridos que surgiram, Beyoncé, para mim, é a rainha. Além de ser uma boa cantora e dançar muuuito, é uma mulher que defende valores importantes e eu a admiro muito por isso.
    Nunca fui grande fã da Mariah, mas também acho triste que ela tenha cedido à pressão… Mas, era quase inevitável. Hoje, a maioria das cantoras não tem música própria (não produzem o próprio material) e precisam mesmo viver de parcerias para que sua música/dança consiga ter mais chances de alcançar um bom público. Não é nada fácil ser músico… Acredito que se Mariah não tivesse se rendido, teria desaparecido lentamente. Muitos cantores (de vários gêneros) que são também compositores e produtores perdem espaço para os demais no mercado atualmente. O fator comercial é muito forte e determinante…

    http://yellowevershine.wordpress.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s